Prado herdará dívida de R$ 120 mil de assessores de Bel, diz Tipó
Tipó e Prado dizem que dívida chega a R$ 6 milhões até final de 2020; Bel afirma que incorporação é direito de trabalhador
Prado herdará dívida de R$ 120 mil de assessores de Bel, diz Tipó
Sessão - Tipó fez apelo para que prefeita Bel retorne servidores comissionados para função original - Foto: Câmara/Divulgação
O vereador Ailton Tipó Laurindo (PMDB) fez um incisivo discurso na sessão da segunda-feira (17), onde pediu à prefeita Bel Lorenzetti (PSDB) que retorne desde já os servidores municipais que ocupam cargos de confiança aos seus postos originais. Segundo o vereador, o objetivo é evitar que seja incorporado aos salários de alguns servidores o valor de suas funções gratificadas que ocupam atualmente. Nas contas de Tipó, se a prefeita não fizer isso, Prado de Lima vai assumir a Prefeitura com uma dívida de R$ 120 mil mensais, o que totalizaria cerca de R$ 1,5 milhão por ano e R$ 6 milhões até 2020. Procurada pela reportagem, a prefeita Bel Lorenzetti (PSDB0 disse que a incorporação faz parte do serviço público e existe em todas as esferas do governo.
Tipó afirmou que os ocupantes de cargos que hoje já têm incorporadas as gratificações e vantagens aos seus salários somam um desembolso mensal de R$ 82 mil aos cofres municipais e que se todos permanecerem até o final do ano nos cargos, o gasto mensal com as incorporações se elevarão para R$ 122 mil por mês, o que equivale a R$ 1,5 milhão por ano, ou quase R$ 6 milhões num mandato. “Nesses quatro anos só faltou eu pedir de joelhos para a senhora acabar com a incorporação da função gratificada e para reduzir em até 60% os cargos de confianças e funções gratificadas” – disse o vereador, adiantando que, se for necessário, até ajoelharia para ver seu pedido atendido.
O presidente da Câmara e prefeito eleito, Anderson Prado de Lima (Rede), ao discursar, também tratou do tema. Disse que o só o pagamento das incorporações do funcionalismo que exerceu cargos comissionados levará R$ 120 mil mensais da Prefeitura. “É hora do lençoense saber quanto custou e quanto custará para os cofres públicos a incorporação que ocorreu ao longo dos 16 anos (de governo tucano); como fazer que um funcionário trabalhe e se dedique de forma integral quando ao lado dele haverá uma pessoa ganhando R$ 9 mil e ele R$ 2.500? Isso é um problema que pagamos com as reeleições que começaram do Fernando Henrique Cardoso” – disse.
Dentre os requerimentos apresentados na sessão, está o de número 364⁄2016, de autoria de Tipó e Prado de Lima, que pede à prefeita a relação de todos os ocupantes de Cargos em Comissão e Funções Gratificadas, constando o nome completo do servidor, nome do cargo ou função gratificada que ocupa; valor total bruto que recebe no cargo em comissão ou função gratificada; valor que já foi incorporado ao seu salário; data em que completará a incorporação de 100%, do valor recebido como ocupante de cargo em comissão ou função gratificada ao seu salário.
“Estou pedindo isso para ter certeza que meus cálculos estão corretos. Porque esses dados eu peguei no Portal de Transparência. Acho que eu peguei todos, mas pode ter faltando alguém, porque são muitas pessoas”, explicou Tipó.
APÊLO
“Eu quero pedir para a senhora, prefeita, que retorne imediatamente todas as pessoas para seus cargos originais para evitar mais essa incorporação. Faça isso para o seu povo, faça isso para quem não tem remédio, quem não tem auxílio transporte, por essas entidades que cuidam de pessoas drogadas, por essas igrejas que se dispõem a fazer o que a prefeitura não consegue fazer. Esse é o dinheiro que está faltando para a população” – disse Tipó, que também pediu empenho para que servidores, principalmente os de alto salário que têm férias a tirar, o façam já, não deixando passivo trabalhista ao futuro governo.
O vereador afirmou que, se em janeiro de 2013 – primeiro mês desse mandato – a prefeita tivesse mandado à Câmara um projeto para acabar com essa incorporação hoje, brincando, a gente já teria uma economia de uns R$ 70 mil ou R$ 80 mil por mês.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia