Publicidade
Publicidade
Publicidade
Alckmin anuncia pagamento ‘extra’ para agente que combater o Aedes
Programa inédito garantirá R$ 120,00 para cada profissional por dia trabalhado, mediante parceria com as prefeituras
Alckmin anuncia pagamento ‘extra’ para agente que combater o Aedes
NA CONTA Alckmin anunciou pagamento de diária extra para trabalho voluntário de agentes municipais aos sábados
O governador Geraldo Alckmin anunciou neste sábado, 13 de fevereiro, que o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, vai pagar para que agentes das prefeituras paulistas atuem aos sábados para combater o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya. O anúncio foi feito nesta manhã, em Campinas, no início das ações do “Dia Nacional de Mobilização para o Combate ao Aedes aegypti”.
“Neste sábado está tendo mutirão em 204 municípios do Estado de São Paulo. Já foram quatro milhões de domicílios vistoriados, onde está sendo feito o trabalho de prevenção aos criadouros do mosquito aedes aegypti”, comentou Alckmin, que destacando o apoio do Governo do Estado em pagar os agentes de saúde aos finais de semana. “Sabemos das dificuldades financeiras dos municípios, por isso, para ter um trabalho mais eficaz, o Governo pagará aos agentes de saúde municipais e também do Estado, R$ 120 por sábado que tiver o mutirão”, explicou.
Com a iniciativa inédita, as cidades que aderirem à campanha “Todos juntos contra o Aedes aegypti” receberão repasses do Fundo Estadual de Saúde para o pagamento de diárias aos profissionais que trabalharem aos sábados. A remuneração extra será de R$ 120,00 por agente, para cada dia de trabalho. A expectativa é que sejam investidos neste programa cerca de R$ 30 milhões, de recursos da Secretaria Estadual da Saúde e do Ministério da Saúde.
O município interessado em participar deverá assinar um Termo de Adesão, indicando o número de agentes e de supervisores mobilizados na campanha em sua jurisdição. Feito isso, cada prefeitura deverá garantir que esses profissionais realizem o trabalho de campo durante todos os sábados, contando o primeiro a partir da data de assinatura do termo até o último sábado de abril de 2016.
Essas equipes terão a atribuição de realizar vistorias domiciliares para eliminação de criadouros e potenciais focos do mosquito, bem como mobilizar a população para evitar novas infestações. Além disso, os agentes deverão preencher formulários atestando as visitas aos imóveis. Assim, além da prestação de contas dos recursos repassados pelo governo do Estado, os gestores municipais deverão submeter, mensalmente, os relatórios de vistoria à Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), autarquia vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, para monitoramento do trabalho.
A Secretaria fornecerá apoio técnico e orientação para o desenvolvimento das atividades previstas, o material educativo a ser utilizado nas ações e seguirá com a divulgação da campanha “Todos juntos contra o Aedes aegypti”, que visa ampliar e aperfeiçoar ações de prevenção e combate ao transmissor de dengue, zika e chikungunya.
“Decidimos criar esse programa de incentivo para garantir que os agentes municipais visitem imóveis aos sábados, quando é mais provável encontrar os moradores em suas casas. Além dessa nova estratégia, prosseguiremos com os mutirões realizados em todo o território paulista, e contamos com o apoio da população para que cada um continue fazendo sua parte, eliminando os criadouros do mosquito, uma vez que 80% deles estão no interior dos domicílios”, afirma o secretário de Estado da Saúde, David Uip.
VACINA CONTRA DENGUE
O governador Geraldo Alckmin destacou que a vacina contra a dengue, desenvolvida pelo Instituto Butantan esta em fase final de teste. “No próximo dia 22 começa a fase três da vacina contra o vírus da dengue. Esta é a ultima fase da vacina tetravalente, que começa a testar em voluntários, para ter a aprovação da Anvisa e poder ter escala comercial”, explicou. Serão testados em 17 mil voluntários, 12 mil recebendo a vacina e 5 mil recebendo placebo, em 12 estados brasileiros.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia