publicidade
Tipó diz que novo governo vai cortar de 60 a 80 cargos comissionados
A medida é de economia e engloba redução dos salários dos diretores, repactuação de contratos e racionalização de gastos
Tipó diz que novo governo vai cortar de 60 a 80 cargos comissionados
CARGOS - Vereador Ailton Tipó Laurindo disse que futuro governo deve cortar entre 60 e 80 cargos comissionados - Foto: OECO
O vereador Ailton Tipo Laurindo (PMDB), já anunciado pelo prefeito eleito, Anderson Prado de Lima (Rede), como líder do futuro governo na Câmara Municipal, disse ontem a O ECO que, a pedido do futuro prefeito, estuda meios de enxugar os cargos de comissionados da administração municipal. Ele falou que verifica a questão junto a um servidor municipal de larga experiência na área e vislumbra a possibilidade de redistribuir as funções e, com isso, reduzir 60, 70 ou até 80 cargos em comissão. Outro ponto de economia do novo governo, segundo adiantou, é a redução de 20 a 30% nos salários dos diretores municipais e a diminuição do número de horas-extras cumpridas pelos servidores. “Existem casos de servidores que ganham R$ 2,3 mil de salário mais R$ 1,5 mil de horas-extras e motoristas que vão a São Paulo cinco vezes por semana; precisamos desconcentrar essa prestação de serviço e, na medida do possível, usar o banco de horas” – afirmou. 
A idéia, segundo o vereador e futuro líder, é reformar os processos para proporcionar economia à administração. Uma das providências seria a centralização de atividades correlatas de diferentes áreas (compras, por exemplo) para, com o maior volume de unidades e um pedido maior, obter melhor preço no mercado. Outra providência prevista é a revisão e repactuação de contratos de serviços entre a Prefeitura e empreiteiras, também como forma de obter mais rendimento para o dinheiro público.
EMENDAS 
A Câmara Municipal aprovou na noite de segunda-feira (28), em segunda discussão, o projeto nº 86⁄2016, que fixa em R$ 229.887.600,00 as receitas e despesas do Município para o exercício de 2017. A peça foi aprovada com seis emendas coordenadas por Tipó, sendo as principais delas a transferência de mais R$ 400 mil para o transporte de alunos lençoenses que cursam faculdades e cursos técnicos em idades da região e de R$ 50 mil para o Centro de Controle de Zoonoses. As outras emendas destinam R$ 65 mil para as escolinhas de futebol, R$ 20 mil para a Casa Cape, R$ 250 mil pra a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e R$ 60 mil para a APAE. 
O transporte estudantil – explicou o vereador – possuía verba de R$ 600 mil inclusa no projeto de orçamento e com os R$ 400 mil transferidos de outras áreas, restará com R$ 1 milhão. “Isso não quer dizer que vamos poder atender integralmente a todos os interessados, mas dará uma possibilidade maior de auxiliá-los”, disse. Porém, a principal vantagem, acentuou, é o projeto de lei que Prado deverá encaminhar à Câmara logo no inicio do governo, fixando regras mais claras para a concessão do benefício. “Para a montagem do projeto, vamos ouvir os estudantes e nele incluir variáveis que possam distribuir a ajuda com a máxima justiça e de forma permanente, para evitar que o aluno curse um ano e não possa continuar na escola nos anos seguintes por não terem conseguido manter o benefício no mesmo nível” – adiantou Tipo, destacando que no quesito renda do candidato, será considerada a soma dos ganhos seu, so seu pais e sua mãe se ele for solteiro e dele e da mulher, quando casado.
Tipó lembrou que o auxilio transporte aos estudantes foi sua bandeira de campanha em 1988, quando concorreu à vereança pela primeira vez. Sua criação deu-se no ano seguinte, pelo prefeito Ezio Paccola. O vereador criticou a forma com que o ex-prefeito José Antonio Marise e a prefeita Bel Lorenzetti, ambos do PSDB, trataram da questão nos seus quatro mandatos consecutivos. “Não houve regra fixa para a concessão e isso provocou a insegurança aos estudantes, levando muitos deles a terem de trancar suas matriculas e até a não mais voltarem aos cursos que iniciaram” – afirmou. 
CANIL
Tipó disse que até o final do ano deverá ser entregue a obra do canil municipal, resultante de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado pela Prefeitura junto ao Ministério Público. Nessa primeira fase estão em construção o abrigo dos animais e a casa de ração. A emenda destina-se a reforçar a verba orçamentária para que se construa a sala de ambulatórios, atendimento de cães acidentes e de cirurgia. “É um processo de implantação que se iniciou e todo ano vamos ter de ir cumprindo etapas” – finalizou. 
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia