Publicidade
Publicidade
Publicidade
Câmara aprova CEI para apurar responsabilidades da enchente
Vereadores vão ouvir vítimas das águas, donos de represas, empresários, autoridades e técnicos que se relacionam ao problema
Câmara aprova CEI para apurar responsabilidades da enchente
TENSÃO – Oposicionistas impõe derrota à situação e aprovam criação da CEI da Enchente (Foto: Tiago Moreno)
Uma sessão tensa e de decisões inesperadas, com os assentos da galeria tomados por dezenas de atingidos pelas águas, a Câmara Municipal de Lençóis Paulista aprovou na noite de anteontem, o projeto de decreto legislativo nº 1/2016, que cria a CEI (Comissão Especial de Inquérito) destinada a “apurar possíveis danos causados pela enchente que afetou o Município no mês de janeiro de 2016”. De autoria dos vereadores oposicionistas Gumercindo Ticianelli Júnior (DEM), Ailton Tipó Laurindo (PV), Humberto José Pita (PR) e Jonadabe José de Sousa (SDD), a matéria ainda recebeu os votos favoráveis do também oposicionista Nardeli da Silva (Pros) e dos vereadores Francisco de Assis Naves (PSDB) e José Pedro de Oliveira, o Coroné Bentinho, (PR). Os dois últimos da situação. Logo após a aprovação, a comissão foi constituída. Jonadabe foi feito presidente, Altair Tipó relator e Manezinho e Pita, membros.
Durante o expediente, ao encaminhar a votação, os vereadores Junior Ticianelli, Tipó e Jonadabe disseram da necessidade de apurar o ocorrido e identificar responsabilidades como forma de forçar que a cidade – que já amargou grandes cheias em 2006 e 2011 – adote providências que a deixem livre de futuros episódios dessa natureza. 
Manezinho, líder do PSDB, encaminhou contra e argumentou que a montagem de uma CEI poderia “criar um palanque eleitoral” nesse ano de eleições e pouco resultado prático teria porque o problema já está em apuração pelo Ministério Público, exatamente o lugar para onde a Câmara, por lei, envia o resultado de suas apurações. Segundo disse, seria um trabalho desnecessário e, por isso, seu partido decidiu fechar questão contra.
André Paccola Sasso, o Cagarete (PSDB) também lembrou da duplicidade de ação e disse que, embora a Câmara possa montar uma CEI, é a Promotoria Pública quem juntará todas as informações, inclusive as que vierem a ser produziadas pela CEI, e dará a resposta que os atingidos esperam. Dodô Santana (PSDB) foi enfático e causou irritação: “eu não vou votar a favor porque isso – a montagem da CEI – é uma politicagem nojenta”. Humberto Pita (PR), falou a favor da CEI e perguntou: “o que que a prefeita fez para vocês depois da enchente, o que ela faz para dar isenções de ISS, IPTU e taxas?”, levando o povo da platéia a responder : “nada!”.
Finalizando, Pita informou que em Pederneiras, que teve enchente no mesmo dia, a Câmara já está votando as isenções propostas pelo prefeito, enquanto em Lençóis ainda não foi providenciado nada. E aconselhou: “Se precisar, façam passeata, não deixem morrer essa indignação”.
Chico Naves (PSDB) disse que esteve nas enchentes de 2006, 2011 e 2016. Depois de cumprimentar as pessoas na plateia, o vereador disse que a CEI não precisaria ser proposta se lá no ano de 2006 tivessem sido tomadas as providências contra as cheias, todos estariam tranquilos em suas casas com os seus pertences. Disse que o seu partido fechou questão contra a CEI, mas “como soldado de vocês (povo), estou aqui para defendê-los; vocês não votaram no partido; vocês votaram no Chico Naves, que vai honrar o voto que ganhou e vai votar para que abra essa CEI”. Logo em seguida, o presidente Anderson Prado (Rede) também fez um discurso favorável à comissão e disse que, como presidente, não vota, mas se a votação empatasse, desempataria a favor da instalação da comissão apuradora.
PSDB E CHICO NAVES
Por sua decisão – de votar a favor da CEI – contrária à orientação do partido, que fechou questão sobre o assunto, o vereador Francisco de Assis Naves deverá ser submetido à comissão de ética do partido. A informação foi prestada ontem a O ECO pelo presidente do diretório municipal do PSDB, José Antonio Marise. “O posicionamento do vereador trouxe um dano objetivo ao partido e, por isso, ele deverá responder de acordo com o regimento” – disse o presidente, que evitou entrar em detalhes da questão, afirmando que quem deverá se pronunciar é o diretório e a comissão de ética, dentro de suas atribuições. 
Quanto a Coroné Bentinho que nos últimos meses formava com o bloco de situação, nada deverá acontecer pois ele é filiado ao PR, hoje presidido pelo vereador Humberto José Pita, um dos autores do pedido de CEI. A posição de ambos, no entanto, é delicada, já que o partido, por sua liderança regional – o deputado federal Milton Monti – já declarou apoio expresso ao PSDB local e os vereadores.
O jornal O ECO ligou no telefone do vereador Chico Naves, mas ele não encontrado.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia