Publicidade
Publicidade
Publicidade
Municípios decretam estado de emergência
Agudos, Borebi e Pederneiras tiveram grandes danos e esperam recursos da Defesa Civil; esquemas mobilizam ajuda aos atingido
Municípios decretam estado de emergência
CHEIA - Pederneiras também sofreu com as fortes chuvas
A intensidade das chuvas levou o prefeito de Agudos, Eveston Octaviani (PMDB) a decretar estado de emergência com o objetivo de conseguir recursos para recuperar a cidade. A prefeitura contabiliza, até o momento, que ao menos 25 pontes foram danificadas na zona rural da cidade, que tem mais de 1.200 quilômetros de estradas. Desmoronamentos também foram registrados na área rural, e em muitos casos, a lama invadiu estradas e bloqueou passagens. 
"Nós já sabemos de ao menos 25 pontes destruídas pela força das águas na nossa zona rural, ainda estamos trabalhando para identificar outros pontos, até porque ainda não conseguimos acesso a várias regiões rurais da cidade", explica o prefeito Everton.
Desde a madrugada de terça-feira, 12, equipes da Secretaria de Obras estão trabalhando em todos os bairros da cidade para auxiliar os moradores. Máquinas e caminhões foram disponibilizados para a retirada de lama e entulho. A Secretaria de Assistência Social também trabalha para identificar vítimas de alagamento. Ao menos uma casa foi interditada pela Defesa Civil, por estar em área de risco. 
Os registros da prefeitura indicam que nos últimos cinco dias choveu mais de 300 milímetros no município, uma quantidade atípica para essa época do ano. 
BOREBI
O prefeito de Borebi, Manuel Frias (PR) decretou ontem estado de emergência por conta dos estragos da chuva, que deixou o município isolado. Ele disse que além das estradas – que ligam a cidade a Lençóis Paulista e a Agudos, que ficaram intransitáveis, também houve dano no sistema de tratamento de esgoto, que deveria ter sido inaugurado na quarta-feira. Uma parte dos tubos coletores que levariam o esgoto até o tratamento foi levada pela enxurrada. O prefeito estima em R$ 2 milhões os prejuízos registrados na cidade e disse ontem a O ECO, que pedirá a ajuda de Defesa Civil estadual. Disse que também procurará o apoio da Zilor, Lwart, Cutrale e outras empresas que atuam no município, para a recuperação daquilo que foi estragado. 
Ontem a estrada para Lençois Paulista já estava dando passagem e à tarde a colocação de pedra junto ao ponto estrangulado para a ligação com Agudos também deveria recuperar aquele passagem. 
PEDERNEIRAS 
Em Pederneiras, o prefeito Daniel Pereira de Camargo (PSB) estima em R$ 11 milhões os danos causados ao município pelas chuvas, que danificaram quatro prédios públicos e 150 casas, desabrigando 400 pessoas. Seis pontes foram destruídas devido ao rompimento das represas nas imediações do bairro rural de Itatinguy e Floresta Estadual. Mais de cem veículos foram total ou parcialmente danificados. Muitos estavam na garagem das casas, e os moradores não tiveram tempo de fazer nada, tamanha a força e a rapidez da enchente.
O estado de emergência foi decretado com o objetivo de obter recursos do Estado. O prefeito esteve reunido com o coordenador estadual da Defesa Civil, cel José Roberto Rodrigues de Oliveira e com o sub-secretário da Casa Civil, dr. Rubens Emil Cury, ex-prefeito da cidade, com os quais tratou da liberação de recursos.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia