Publicidade
Publicidade
Publicidade
ASP revela que diretoria anterior deixou dívida de R$ 529 mil
Jonadabe diz que a dívida é anterior ao seu mandato e que, quando na direção da associação, pagava tudo regularmente
ASP revela que diretoria anterior deixou dívida de R$ 529 mil
DÍVIDA – Atual diretoria divulgou que ASP tem mais de meio milhão de dívida herdadas de gestão anterior (Foto: Elton Laud/O ECO)
A Associação dos Servidores Públicos de Lençóis Paulista (ASP) está divulgando para seus associados um panfleto com a prestação de contas da entidade, onde informa que, no dia 19 de outubro do ano passado, quando a atual diretoria assumiu a entidade, encontrou um déficit de R$ 529.986,39. Afirma também que, ao longo dos 4 meses de mandato cumpridos, já pagou R$ 87.624,84 de dívidas, sendo R$ 52.000,00 referentes a restos a pagar da Festa do Servidor, cujos custos foram divididos em quatro parcelas de R$ 13.125,00.
Segundo o panfleto, a atual diretoria recebeu a associação com R$ 27.563,73 na conta do Bradesco e R$ 14.332,24 na Siccob. E as dívidas, naquela ocasião, eram de R$ 16.703,00 em salários e encargos, águas, luz e telefone, arrendamento de pesqueiro, comunicação e assessoria, consultoria jurídica, assessoria jurídica e outros; R$ 52.500,00 da Festa do Servidor; R$ 22.824,84 em convênios atrasados com estabelecimentos comerciais; R$ 150.992,36 em atraso com o plano de saúde Unimed; e R$ 360.849,19 em INSS, PIS e Imposto de Renda. Também cita um bloqueio judicial da importância de R$ 31.977,03.
O presidente Marcos Antonio Francatti disse ontem a O ECO que a nova diretoria tem realizado todos os esforços para colocar em dia as pendências e dar melhores condições para a ASP prestar serviços aos associados. A dívida com a Unimed e com os conveniados já está sendo negociada, assim como outras providências são tomadas.
O presidente disse ainda que divulgação do balancete financeiro da entidade faz parte do compromisso assumido durante a campanha que levou sua chapa à vitória. Tanto que está gerando informativos para os associados saberem exatamente o que está ocorrendo. Ele admitiu que por conta da situação difícil, a ASP de fazer algumas coisas. “A Festa da Mulher, que deveria acontecer em março, não será realizada por falta de recursos”, disse.
Por outro lado, lembrou que a nova equipe está procurando ampliar convênios e estuda a possibilidade de adotar cartão de crédito para o associado. “Tudo será feito para colocar a ASP em boas condições financeiras e operacionais, com o foco voltado para o futuro”, completa o atual presidente.
OUTRO LADO
Consultado por este jornal, o ex-presidente da entidade, o vereador Jonadabe José de Souza (SDD), disse que o endividamento da ASP vem desde a sua fundação e “não é uma dívida feita pelo Jonas”. Falou que o principal problema esta no convênio da Unimed, onde a receita federal achou que as prestadoras de serviços haviam de pagar os impostos dos médicos da Unimed e a ASP e todas as empresas que oferecem planos de saúde a seus associados ou empregados foram cobradas. “As empresas recorreram e ganharam e com, com base nisso, eu entrei também com processo e consegui suspender a divida” – disse o vereador, afirmando que até então estava pagando regularmente as dívidas, inclusive de gestões anteriores. “Todos sabem que essa divida não é minha, mas de antes meu mandato como presidente da ASP”.
A Associação dos Servidores Públicos de Lençóis Paulista foi fundada em 1991, e teve 10 presidentes até hoje. Jonadabe presidiu a entidade entre 2003 e 2015, ou seja, nos últimos 12 anos. A ASP conta atualmente com 1900 associados.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia