Publicidade
Publicidade
Publicidade
Tribunal de Contas manda Juruna devolver R$ 640 mil
Contratos de informática, filmagens, fotografias e treinamento foram impugnados por vários motivos
Tribunal de Contas manda Juruna devolver R$ 640 mil
DEVOLUÇÃO – Juruna é condenado a devolver R$ 640 mil aos cofres públicos de Lençóis Paulista (Foto: Arquivo/OECO)
Despacho da conselheira Cristina de Castro Moraes, do Tribunal de Contas do Estado, determina a notificação pessoal do ex-presidente da Câmara Municipal de Lençóis Paulista, Ailton Rodrigues de Oliveira, o Juruna (PTB), no prazo de 30 dias, apresentar justificativas ou devolver ao cofre publico, devidamente atualizada, a importância de R$ 640.732,55, relativa a contas impugnadas durante a sua administração, ocorrida no ano de 2012.
Segundo o documento, datado de “fevereiro de 2016”, foram impugnadas as seguintes contas do período em que Juruna era presidente: R$ 112.182,85, relativos à contratação de serviços de reportagens fotográficas e filmagens, com dispensa de licitação, em nome de “Denny Wesley Bocardo da Silva ME, “Erica da Silva Masseran Fotografia” e “Thiago Henrique Francisco Macedo”; R$ 7.800,00 em serviços de elaboração de pesquisas, por Flávio Rosilho dos Santos; R$ 46.550,00, em serviços de manutenção em equipamentos de informática, pela empresa Virtual Informática Bauru Ltda.; R$ 147.900,00 em serviços diversos no sistema de informática, por Gutierrez & Pedroso Ltda. ME; e R$ 23.900,00 em serviços de atualização do sistema de informática com treinamento e capacitação, por “MPC Informática e Sistemas Ltda. Também foram suspensos, por falta de comprovante da execução dos serviços, contratos de R$ 72.600,00 e R$ 78.000,00 com Gutierres e Pedroso Ltda ME; R$ 73.200,00 com  NBS Produtos P/Informática Consultoria e Sistemas Ltda; dois de R$ 78.600,00 com  MPC Informática e Sistemas Ltda; e R$ 58.500,00 com Ômega Consultoria e Planejamento Ltda.
Além da intimação de Juruna para as providências exigidas no processo, a conselheira também determinou a notificação do atual presidente da Câmara, vereador Anderson Prado de Lima (Rede) para que tome ciência da decisão. Consultado ontem por nossa reportagem, Prado disse ainda não ter sido notificado mas, lembrou que o valor inicial apurado chama a atenção e que, até por dever de ofício, como atual presidente, tomará todas as providências de sua responsabilidade para a recomposição do patrimônio publico. Ao conhecer a relação dos fornecedores impugnados, disse que desde quando o vereador Humberto José Pira (PR), atual vice-presidente tomou posse na presidência, em 2013, aqueles prestadores de serviços não atendem mais ao Legislativo lençoense.
Juruna, que hoje não tem militância política explícita na cidade, não foi encontrado pela reportagem.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia