Publicidade
Publicidade
Publicidade
Inundação atinge 70% do acervo do Museu Alexandre Chitto
Equipe da Diretoria de Cultura faz força tarefa para recuperação da peças históricas
Inundação atinge 70% do acervo do Museu Alexandre Chitto
MUITA ÁGUA - Parte do acervo ficou amontoada pelos cantos das salas do MAC
A enchente que castigou Lençóis Paulista esta semana também afetou o acervo histórico da cidade. Com o nível do Rio Lençóis subindo mais de cinco metros, as águas inundaram até a metade dos quarteirões entre a Av. 25 de Janeiro e a Rua 15 de Novembro, alagando o prédio do Museu Alexandre Chitto, na esquina da Rua Cel. Joaquim Anselmo Martins.
Segundo o diretor de Cultura, Nilceu Bernardo, cerca de 70% das mais de seis mil peças do acervo histórico e cultural do museu teve contato com a água da enchente. O nível da água atingiu cerca de 1,2 metro no local, apesar da altura elevada da maioria das salas. O prejuízo só não foi maior porque na madrugada de terça para quinta parte do material foi retirado.
A notícia boa é que nenhuma das peças foi levada pela água. O que estava acondicionado dentro das prateleiras permaneceu em seu lugar; o que estava e abaixo da altura atingida ficou boiando entre as salas, já que as portas resistiram a força da água e não se romperam. Nem mesmo as peças do carro de boi, exposto na área externa, foram perdidas, mesmo após a correnteza desmontá-lo todo.
"Provavelmente a memória de Lençóis, acondicionada no Museu Alexandre Chitto, não sofrerá grandes danos. As peças até irão adquirir um outro valor histórico, por terem resistido a essa enchente. Vamos recuperar tudo, mas é um trabalho muito delicado que tem que ser feito com muito cuidado para que os danos não sejam maiores.
Desde a manhã de quinta-feira, depois que a água já havia recuado, cerca de 15 pessoas da Diretoria de Cultura trabalham na limpeza do local, que ficou coberto pela lama. Nilceu conta que a orientação no momento é para que tudo seja separado por categoria e tipo de material para que só após a limpeza do piso e dos armários a higienização e recuperação do acervo seja iniciada. Os materiais mais frágeis, como papéis, documentos e alguns livros serão levados ao Espaço Cultural Cidade do Livro, onde existe a estrutura adequada para a restauração.
Após o incidente, Nilceu prevê que o MAC deve ficar de um a dois meses fechado para a realização do trabalho. Porém, para que tudo seja concluído completamente, serão necessários recursos financeiros.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia