Publicidade
Publicidade
Publicidade
Fórum Permanente debate as implicações da legalização da maconha
Cecap, Caju e bairros vizinhos devem receber as primeiras atividades do ano
Fórum Permanente debate as implicações da legalização da maconha
AÇÕES - Caminhada contra às drogas abriu as atividades do fórum no ano passado - (Foto: Divulgação)
Na sexta-feira, dia 26 de fevereiro, foi realizada no auditório da Diretoria de Educação de Lençóis Paulista, a primeira reunião de trabalho para discutir os detalhes da terceira edição do Fórum Permanente de Combate ao Uso de Drogas. Participaram do encontro representantes de diversas instituições, conselheiros tutelares, membros do Conselho Municipal Antidrogas e gestores de escolas da região da Cecap, Jardim do Caju e adjacências, que compõem a primeira região do cronograma de atividades.
Este ano o Fórum irá debater as "Implicações da Legalização do Uso da Maconha". O tema pretende estimular a reflexão sobre o assunto nas escolas e comunidade. "É uma discussão que volta e meia está na mídia e achamos que seria interessante abordar o tema e discutir as implicações que muitas vezes não são colocadas em pauta. É um assunto que merece mais aprofundamento e reflexão", destaca o diretor de Recursos Humanos da Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista, Marcos Norabele, que é o coordenador do Fórum.
Segundo Norabele, a abordagem do tema vai ser elaborada de forma conjunta com a comunidade em cada uma das regiões. "Todos saíram da primeira reunião com a missão de pensar em propostas para essa abordagem. Essas ideias devem ser discutidas no próximo encontro, marcado, para a próxima sexta-feira, dia 11", explica. Uma das novidades é que este ano a logomarca do Fórum será estampada nos uniformes dos alunos da rede municipal.
A exemplo dos anos anteriores, oito regiões da cidade receberão as atividades do Fórum, porém, por conta do ano eleitoral, ao invés da programação se estender durante o ano todo, as ações devem se concentrar no primeiro semestre - nas escolas as ações continuam o ano todo -. Serão realizados encontros em duas ou três regiões diferentes a cada mês. A programação prevista é a seguinte: Cecap e Caju (março); Centro e Ubirama (abril); Núcleo, Cruzeiro e Primavera (maio); Alfredo Guedes (junho).
 
Grupo promove ações contra as drogas em Macatuba
Um grupo de trabalho formado por voluntários, entidades e instituições de Macatuba deu início a uma mobilização para prevenir o uso de substâncias psicoativas, o que inclui o tabaco, álcool e drogas ilícitas como crack, maconha e cocaína. A primeira reunião para discutir a proposta aconteceu na quarta-feira (2), na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social.
Participaram do encontro representantes do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), secretarias de Educação, Assistência Social e Saúde, Centro de Apoio Psicossocial (CAPS), membros de conselhos municipais, Polícia Militar, igrejas e sociedade.
A proposta é formar um grupo de trabalho para aprimorar e ampliar a política municipal de combate e prevenção ao uso dos diversos tipos de drogas, lícitas ou ilícitas. Um dos focos de atuação do grupo será no atendimento coordenado a usuários específicos, como moradores de rua, por exemplo (assessoria de imprensa).
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia