Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lula é conduzido a prestar depoimento para PF
Lava Jato investiga se dinheiro da Petrobrás beneficiou o ex-presidente; Lula diz que condução foi pirotecnia
Lula é conduzido a prestar depoimento para PF
DEFESA - Após prestar depoimento, Lula foi para a sede do PT e concedeu uma entrevista coletiva à imprensa - (Foto: Divulgação)
A Polícia Federal iniciou na madrugada de ontem, no apartamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, a 24ª fase da Operação Lava Jato. Levado por agentes para depor no aeroporto de Congonhas, por volta das 8h30, o ex-presidente deixou o local no final da manhã e foi para o Diretório do PT no centro de São Paulo. Enquanto Lula prestava depoimento, manifestantes contra e pró-governo protestaram no aeroporto, e alguns chegaram a trocar agressões.
Diversos endereços ligados ao investigado, incluindo a sede do Instituto Lula e o sítio que ele frequentava em Atibaia, foram visitados por agentes, que também fizeram operações em endereços de um dos filhos do presidente, Fabio Luiz, conhecido como Lulinha. Cerca de 200 agentes da PF e 30 auditores da Receita Federal cumpriram, ao todo, 44 mandados judiciais, sendo 33 mandados de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva no Rio de Janeiro, em São Paulo e na Bahia. As buscas se estenderam até Manduri (ao lado de Águas de Santa Bárbara, a 78 quilômetros de Lençóis Paulista), na fazenda pertencente a Jacó Bitar, amigo e ex-companheiro de sindicalismo de Lula e por ele também frequentada.
Segundo Ministério Público Federal no Paraná, a operação visa a "aprofundar a investigação de possíveis crimes de corrupção e lavagem de dinheiro oriundos de desvios da Petrobras, praticados por meio de pagamentos dissimulados feitos por José Carlos Bumlai e pelas construtoras OAS e Odebrecht ao ex-presidente e a pessoas associadas.
"Há evidências de que o ex-presidente Lula recebeu valores oriundos do esquema Petrobras por meio da destinação e reforma de um apartamento triplex e de um sítio em Atibaia, da entrega de móveis de luxo nos dois imóveis e da armazenagem de bens por transportadora. Também são apurados pagamentos ao ex-presidente, feitos por empresas investigadas na Lava Jato, a título de supostas doações e palestras", diz nota do MPF.
Em coletiva de imprensa em Curitiba na manhã, o procurador do Ministério Público Federal Carlos Fernando dos Santos Lima, disse que as seis empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras (Odebrecht, UTC, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, OAS e Queiroz Galvão) foram responsáveis por 60% das doações ao Instituto Lula e 47% da empresa LILS Palestras, de propriedade de Lula, entre 2011 e 2014. No total, as quantias somariam R$ 30 milhões.
Em discurso no Diretório do PT, Lula disse que a operação usou de "pirotecnia". "Se o juiz Sérgio Moro quisesse um depoimento, era só pedir."
Segundo o ex-presidente, no inicio de janeiro, ele chegou a interromper suas férias para ir a Brasília prestar depoimento a Polícia Federal. "O que vale mais é o show midiático do que a apuração séria feita pela Justiça", afirmou.
13 DE MARÇO
A operação contra o ex-presidente acontece poucos dias antes do protesto marcado para o próximo domingo, dia 13 de março, que pretende pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A oposição também iniciou discussões para tentar encaminhar o processo na Câmara Federal.
Ontem o presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, que passou pela região, defendeu a renúncia da presidente Dilma Rousseff.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia