Publicidade
Publicidade
Publicidade
Skaf percorreu região para firmar convênios esportivos
Macatuba, Borebi, Agudos e outras cidades recebem o incentivo do SESI; pato gigante protesta contra a CPMF
Skaf percorreu região para firmar convênios esportivos
VISITA - Paulo Skaf esteve ontem à tarde com o prefeito de Macatuba, Tarcisio Abel - (Foto: Assessoria/Divulgação)
O presidente da Fiesp (Federação das Industrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, encerrou ontem, no final da tarde, em Macatuba, o programa que cumpriu durante dois dias em sete cidades da região. Ao lado do prefeito Tarcisio Abel (PP), assinou convênio do Programa Atleta do Futuro do SESI com a Prefeitura, para a mantenção de 250 alunos das escolas locais na prática de basquete, futebol, voleibol e futsal. Antes, às 15 horas, esteve em Agudos, assinando junto com o prefeito Everton Octaviani (PMDB) o convênio para atender a 40 alunos que praticam handebol.  Às 16 horas, em Borebi, assinou com o prefeito Manoel Frias (PR) o beneficio para 150 alunos de futsal.
Pela manhã esteve em Bauru, onde às 10 horas, no Centro de Atividades Sesi Rafael Noschese. As atletas olímpicas Fabiana e Jaqueline realizam palestra motivacional com a equipe de judô sediada em Bauru, que inclui 46 atletas de alta performance, 76 no treinamento esportivo e 83 alunos do PAF. Às 11 horas, no Ciesp de Bauru, presidiu a renovação do Programa Sesi-SP Atleta do Futuro (PAF), que atenderá 760 alunos com a prática de futsal, natação e judô. À noite, voltou àquela cidade para às 21h30, assistir a equipe de vôlei feminina do Sesi-SP na disputa da Superliga com o time Concilig Vôlei Bauru, no Ginásio Panela de Pressão.
Na quinta-feira, às 14h, o líder empresarial assinou a renovação do Programa Atleta do Futuro – PAF, no Centro de Atividades Sesi Ruy Martins Altenfelder Silva, de Jaú. O convênio atenderá 1.545 alunos com a prática de xadrez, karatê, natação, futsal, judô, capoeira, basquete, atletismo e handebol. 
Em seguida, Skaf  foi a Igaraçu do Tietê e Pederneiras, onde também renovou convênios para o desenvolvimento de formação esportiva do PAF. O de Igaraçu do Tietê atenderá 320 alunos nas modalidades de futebol, basquete e futsal. Em Pederneiras foi renovada a parceria com a prefeitura e a empresa Ultrax do Brasil Química Ltda, beneficiando 380 alunos nas modalidades esportivas de futsal, judô, caratê e futebol. Na oportunidade foi assinado também convênio para a implantação do Sistema Sesi de Ensino. O sistema abrangerá 25 escolas municipais totalizando 3.660 alunos, sendo 1.050 da educação infantil e 2.610 do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental. A implantação também envolve 44 gestores e 278 professores do município.
Com o Sistema Sesi-SP de Ensino, o município receberá o know-how pedagógico e educacional do Sesi-SP, desenvolvido pela entidade.
Atualmente, o Sesi-SP mantém convênios com 24 municípios, o que significa 493 escolas atendidas e mais de 99.925 alunos de escolas municipais beneficiados. Esse universo também contempla 1.035 gestores e 7.219 docentes envolvidos.
 
Não vou pagar o pato
Paralelamente aos convênios, Paulo Skaf veio lançar em Jaú e Bauru a campanha “Não vou pagar o pato”. Um pato inflável de 5 metros, símbolo da campanha contra a elevação dos impostos e a volta da CPMF, foi instalado quinta-feira às 13 horas, na praça Siqueira Campos, ao lado da Matriz, em Jaú, para que a população pudesse aderir pessoalmente à iniciativa. Foram também distribuídos folhetos, adesivos, e colhidas as assinaturas. O mesmo ocorreu no começo da tarde de ontem, na praça Rui Barbosa, em Bauru. 
A campanha “Não Vou Pagar o Pato” teve início em São Paulo, em setembro de 2015, em frente à sede da Fiesp, e vem percorrendo cidades do interior paulista e de outros Estados. O pato já esteve também na Baixada Santista, Brasília (DF), Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba.
Com mais de 1 milhão e 200 mil assinaturas, a campanha tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre os altos impostos já pagos em produtos e serviços, e evitar, além do novo aumento da carga tributária, a volta da CPMF, propostos pelo governo federal.
De acordo com Skaf, “não podemos aceitar que o governo coloque a CPMF goela abaixo dos brasileiros dividindo o custo de sua incompetência com todos aqueles que acreditam no Brasil”.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia