Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lençoenses pedem impeachment da presidente Dilma
Protesto do domingo reuniu entre 350 e 400 pessoas, segundo a PM e mais de 600 segundo os organizadores
Lençoenses pedem impeachment da presidente Dilma
PROTESTO - Lençoenses vão às ruas para pedir a saída da presidente Dilma Rousseff - (Foto: Vitor Godinho/OECO)
Com frases como “fora PT”, “fora Dilma e Lula”, lençoenses marcaram presença neste domingo (13) na Concha Acústica no protesto que pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). O movimento em Lençóis está filiado ao Vem Pra Rua que organiza neste domingo protestos em todo país. Em Lençóis Paulista, entre 350 e 400 pessoas segundo cálculo da Polícia Militar e mais de 600, segundo os organizadores, participaram do ato que começou em frente ao ginásio municipal Antônio Lorenzetti Filho, o Tonicão.
Dezenas de pessoas portavam bandeiras do Brasil e estavam vestidas com as cores verde e amarelo. Depois de se reunir no Tonicão, o grupo seguiu em caminhada pela rua Dr. Antônio Tedesco até a praça Comendador José Zillo, a Concha Acústica. O delegado de polícia aposentado, José Dutra, conduziu o grupo gritando frases de ordem pedindo a saída da presidente Dilma do poder e também a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Na praça, diversas pessoas se inscreveram para falar. O engenheiro agrônomo e presidente da Ascana (Associação dos Plantadores de Cana do Médio Tietê), Luiz Carlos Dalbén, o Gigio, abriu os discursos. “O Brasil não aguenta mais essa gente roubando o país. Não aguenta mais ver políticos corruptos desviando dinheiro da Petrobrás para ao enriquecimento pessoal. O Lula está rico, e o filho dele, que até esses dias trabalhava num zoológico, está rico também. Nós precisamos tirar essa quadrilha do poder”, disse.
O presidente da subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), José Moraes Salles Neto, disse que entidade também defende a prisão de todas as pessoas que praticaram atos ilícitos e desviaram dinheiro público, como tem mostrado a operação Lava Jato.
O vice-prefeito de Lençóis Paulista e diretor do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), José Antonio Marise, afirmou que independente de partido político ou posição ideológica o povo em que se unir para por um fim aos desmandos que estão ocorrendo no Governo Federal. “E nós temos que fazer esse ato de Lençóis chegar ao Congresso Nacional. Cada um aqui tem que mandar para o deputado e senador que votou nas últimas eleições o que está acontecendo aqui hoje. Temos que ecoar esse protesto porque só através da pressão popular é que vamos conseguir mudar as coisas nesse país”, frisou.
Diversas pessoas seguiram com os discursos até por volta das 12h. A prefeita Bel Lorenzetti (PSDB) foi a última a falar. Ela disse que mais do que prefeita, ela participara do protesto como uma lençoense que quer ver um futuro melhor para seus filhos e netos. Afirmou que a população não pode se conformar com essa situação e tem que lutar para ver um Brasil melhor.
Depois dos discursos, todos foram convidados a cantar o hino nacional. O comandante da Polícia Militar de Lençóis Paulista, capitão Juliano Xavier, disse que a manifestação transcorreu de forma tranquila e que nenhum incidente foi registrado.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia