Publicidade
Publicidade
Publicidade
Homem é condenado a 18 anos em primeiro feminicídio do Estado
Filho de um ano e meio estava no berço no dia do crime; por ser considerado crime hediondo
Fábio Pereira Sander, 29 anos, foi condenado a 18 anos de prisão sexta-feira, 11 de março, em Macatuba. Sander esfaqueou a ex-mulher, Luciana Aparecida dos Reis, 23 anos, em março do ano passado. A jovem morreu enquanto era transferida para o Hospital Estadual de Bauru, após passagem pelo Pronto Socorro de Macatuba. Por o crime ser considerado hediondo, o réu terá de cumprir 3/5 da pena em regime fechado.
Além do golpe no abdômen, a morte da jovem pode ter sido causada porque o ex-marido impediu por cerca de 30 minutos que familiares da vítima chamassem socorro.
“Se tivesse sido socorrida, ela teria sobrevida”, disse à época o delegado Richard Alberto Serrano, que preside o inquérito do homicídio qualificado. Em entrevista o delegado disse que a pena de Sander poderia ser aumentada com base na lei do feminicídio, crime que passou a ser considerado hediondo após a presidente Dilma Rousseff sancionar a lei na no dia 9 de março de 2015.
Explicou que para a polícia o crime é homicídio qualificado consumado, mas na hora do julgamento a pena que continua de 12 a 30 anos, poderá ser aumentada em 1/3 em função do acréscimo de incisos na lei.
O crime ocorreu no Jardim Planalto. O acusado fugiu, mas foi localizado e preso em um canavial, próximo do local do crime. A faca teria sido jogada no canavial onde foi preso, mas não foi encontrada.
Richard Serrano disse à época do crime que a versão do acusado em depoimento à polícia foi inacreditável. Ele disse que a mulher o empurrou e que caiu com a faca sobre ela, mas na verdade, segundo Richard Serrano, a mulher foi encurralada pelo agressor.
No momento do crime, além da vítima estavam na casa os pais, a irmã da jovem e um jovem com quem ela se relacionava na época. O namorado fugiu, foi encontrado pela polícia e deu sua versão ao caso.
“O pai presenciou o crime”, disse o delegado, ao reforçar que o acusado impediu por meia hora o socorro da vítima. “Foi um fato grave”, disse Richard Serrano. O casal vivia há 10 anos junto e começou a se desentendeu meses antes do crime. A mulher chegou a registrar boletim de ocorrência por ameaça.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia