Publicidade
Publicidade
Publicidade
Jogadores bem ‘armados’
Lençoenses utilizam seus finais de semana para treinar um esporte de tiro chamado Airsoft; saiba mais sobre a prática
Jogadores bem ‘armados’
Se um dia você estiver andando pela zona rural de Lençóis e se deparar com homens armados, vestidos com roupa militar, correndo para todo lado, não se assuste. Podem ser os lençoenses que praticam o Airsoft, um esporte de tiro que cresce a cada dia. Mas para ter certeza que são apenas jogadores, é preciso verificar a cor laranja na ponta das armas. É ela que diferencia uma arma de “brinquedo” de uma de verdade. Se não tiver essa ponteira laranja, bem, então é bom correr.
Criado em maio de 2015, o GOLP (Grupo Operacional de Lençóis Paulista) é uma equipe de Airsoft, esporte no qual são utilizadas réplicas idênticas de todo tipo de arma, desde pistolas até fuzis, que atiram pequenas bolinhas de plástico. A principal regra é não retirar os óculos de proteção, pois os projéteis atingem grande velocidade e podem causar lesões ou até cegar. Tirou os óculos, está fora da operação. Fora isso, as munições não trazem risco, também é proibido apontar a arma para quem o jogador não queira acertar e manter sempre o dedo fora do gatilho, mesmo estando em campo.
Segundo o líder da equipe lençoense, Paulo Aidar, não existe competição no grupo. “No Airsoft o que reina é amizade, nos enfrentamos durante as missões, mas no final todo mundo é amigo”, diz. O modo de jogo varia de acordo com o lugar onde é praticado. Em Lençóis, são praticadas simulações militares (milsim), sendo tudo levado a sério, desde a vestimenta (que é camuflada, própria para ambientes de mata), até o comportamento durante as ações.
Durante o treinamento a equipe é dividida em equipes menores e cada um vai para um ponto do campo, é, então, decidido o tipo de “missão” que será praticada e a equipe que alcançar os objetivos vence. As missões variam desde resgate de refém, até desarmar bombas, neutralizar o “inimigo”.
Existem vários cursos também voltados às equipes de Airsoft. No GOLP, há dois atletas que já participaram do curso Jungle Operations, no qual os jogadores passam dois dias em selva aprendendo táticas de combate e um atleta que participou do curso de combate urbano, que aumenta o conhecimento de combate em espaço confinado.
Segundo os lençoenses, a maior dificuldade encontrada na cidade, é ter um lugar para jogar. O esporte não exige muito, qualquer lugar inutilizado pode ser um “campo de batalha”, desde colônias até empresas desativadas, porém, por ser um esporte relativamente desconhecido os proprietários dos espaços acabam ficando relutantes em liberar a prática no local e, muitas vezes, os jogadores precisam ir para cidades próximas, onde há estrutura para a prática.
Quer conhecer o esporte? Entre em contato com a equipe através do Facebook, na fanpage facebook.com/golpairsoft ou entre em contato com o líder e idealizador do grupo, Paulo Aidar. E, principalmente, divirta-se!
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia