Publicidade
Publicidade
Publicidade
Agudos oferece estrutura para castrar mil animais em 2016
Iniciativa voltada para cães e gatos abandonados é oferecida gratuitamente pelo município; ano passado mais de 500 animais
Agudos oferece estrutura para castrar mil animais em 2016
ANIMAL - Local onde são feitas as castrações em cães e gatos de Agudos - (Foto: Divulgação)
A falta de consciência de parte dos donos de animais domésticos tem gerado problemas em Agudos e em diversas cidades brasileiras. Ao abandonar filhotes de cães e gatos nas ruas aumentam também as chances da proliferação de doenças nos municípios. Para evitar que esta situação continue causando problemas de saúde nos agudenses, a prefeitura criou há mais de cinco anos, uma campanha de castração animal gratuita. O projeto oferece cirurgia com médico veterinário especializado. O objetivo é evitar o aumento dos casos de animais abandonados em Agudos.
No ano passado, a iniciativa promoveu a castração em 511 animais, entre cães e gatos. O número é o maior já registrado desde que o programa foi implementado no município. Ao todo, desde 2011, o município já castrou um total de 1.234 animais.
De acordo com o prefeito Everton Octaviani, a meta para este ano é superar os índices anteriores. O prefeito afirma que para 2016, a expectativa é que sejam realizadas cerca de mil cirurgias em cães e gatos.
"É a forma que encontramos para auxiliar os moradores. Os animais castrados não podem se reproduzir e isso combate o abandono, além de diminuir a superpopulação animal nas ruas da cidade. Já fazemos a microchipagem também, que é uma tecnologia para identificar o animal com dados de seu dono, registro de vacinas e outras especificações, mas precisamos da colaboração de todos que amam e cuidam de seus bichos para o sucesso desta iniciativa. É uma política pública que oferece auxílio nos cuidados com os animais abandonados", afirmou.
 
Castrações realizadas pelo município
2011 - 44 animais
2012 - 351 animais
2013 - 80 animais
2014 - 305 animais
2015 - 511 animais
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia