Publicidade
Publicidade
Publicidade
Prefeitura utiliza entulho reciclado em manutençãode estradas rurais
Trechos que receberam material somam área de 2,850 mil metros quadrados
Prefeitura utiliza entulho reciclado em manutençãode estradas rurais
RECICLAVEL - A Usina recebe atualmente em média 30 caçambas de entulho - (Foto: Divulgação)
Os resíduos processados na Usina de Reciclagem de Resíduos da Construção Civil (RCC) da Prefeitura de Lençóis Paulista já estão sendo utilizados pela Diretoria de Obras para a execução de obras de regularização e manutenção de estradas rurais. Os primeiros trechos que receberam o material produzido na Usina de RCC estão localizados nas rodovias municipais: LEP 360, LEP 461 e LEP 335 e somam uma área de 2.850 metros quadrados.
Nestes trechos foram utilizados 270 metros cúbicos de brita corrida, produto obtido no processo de reciclagem do entulho depositado nas instalações da Usina de Reciclagem.
Segundo os responsáveis pela manutenção das estradas, o resultado final obtido pela utilização do produto reciclado nestas obras apresentou excelente resultado. A Prefeitura já tem em seu cronograma outros trechos que necessitam de manutenção e que receberão o entulho reciclado em substituição ao cascalho utilizado atualmente.
A reinserção deste produto nas obras pela Prefeitura Municipal apresenta uma série de ganhos ambientais e econômicos. Na questão ambiental, os entulhos coletados pelos caçambeiros, que antes eram diretamente depositados no aterro de inertes, agora, com a reciclagem, passam a ser reutilizados nas obras de regularização de estradas rurais, prolongando assim a vida útil do atual aterro, reduzindo ainda a possibilidade de contaminação do lençol freático.
No âmbito dos ganhos econômicos, pode-se destacar que a brita corrida reciclada substitui o cascalho na manutenção das estradas rurais. Este cascalho, também conhecido como "piçarra", empregado atualmente nestas obras, é obtido na extração de jazidas localizadas a grandes distâncias do local das obras, o qual necessita ser transportado e armazenado pela Prefeitura, para posteriormente ser utilizado nas estradas, gerando maiores custos associados ao seu transporte.
Já no caso da brita corrida reciclada, seu processamento e o armazenamento ocorrem diretamente na usina de RCC, sendo transportados conforme a necessidade para as estradas, o que gera redução do custo de transporte. Tem-se ainda a economia na aquisição de novas áreas para construção de aterros para a disposição final do entulho.
A Usina de Reciclagem de RCC de Lençóis Paulista passou a operar no mês de Fevereiro de 2.016 instalada no Distrito Industrial II na Unidade de Serviços Municipais, que conta ainda com a Usina de Asfalto, Fábrica de Artefatos de Concreto, Usina de Reciclagem de resíduos domiciliares e os aterros: de resíduos sólidos domiciliares e de inertes.  O investindo total entre os equipamentos, base e instalações chegou a R$ 285.000,00, entre recursos do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição (FECOP) e do Município.
A Usina recebe atualmente em média 30 caçambas de entulho. O material contido nestas caçambas é muito heterogêneo, necessitando de uma pré triagem antes de seu processamento para separar os resíduos como concreto, telhas e pisos cerâmicos dos demais produtos não aproveitados no processo como madeira, papel e plástico, que possuem outros destinos. 
Devido a esta característica, não é possível aproveitar 100% do entulho coletado, sendo que atualmente, pode-se aproveitar até 60% destes resíduos, dependendo da forma como os resíduos são segregados na fonte. Desta forma, quanto melhor a segregação na fonte, melhor o aproveitamento dos resíduos dispostos nas caçambas. 
Para reverter este quadro e possibilitar a obtenção de maior volume do produto reciclado, é necessário que a população e as empresas utilizem adequadamente as caçambas, descartando somente resíduos da construção civil, separando-os de galhos e outros materiais inservíveis, e principamente, não descartar materiais orgânicos junto com os entulhos de obras.
A Usina possui capacidade instalada para processar 20,0 toneladas/hora de resíduos, suficiente para atender o crescimento da demanda do município para os próximos 20 anos. (com assessoria de imprensa)
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia