Publicidade
Publicidade
Publicidade
Marise compareceu à CEI e falou sobre providências da Defesa Civil
Coordenador diz que no dia da enchente, boletim da Defesa Civil Estadual não previa chuvas para nossa região
Marise compareceu à CEI e falou sobre providências da Defesa Civil
EMBATE - Vice-prefeito Marise cumprimento vereador Tipó após depoimento na terça-feira - (Foto: Tiago Moreno/OECO)
O vice-prefeito e coordenador da Defesa Civil do Município, José Antonio Marise, foi o ouvido nesta terça-feira ( na Câmara Municipal, pela CEI da Enchente, que apura as causas e responsabilidade do sinistro que vitimou a cidade nos dias 12 e 13 de janeiro. Inquirido pelos vereadores Ailton Aparecido Tipó (PMDB) presidente, Jonadabe José de Souza (PTB) relator e Manoel dos Santos Silva (PSDB), membro. Com a galeria da Câmara tomada por moradores atingidos pela cheia, vereadores e servidores públicos, o depoente expôs detalhes do funcionamento da Defesa Civil e das providências ocorridas nos dias da enchente.
A Defesa Civil de Lençóis Paulista – disse – é composta pelo coordenador e pelo secretário (Luiz Eduardo Conti, diretor de Planejamento da Prefeitura) e reúne servidores municipais e integrantes da sociedade como voluntários. O órgão tem um plano de emergência que é frequentemente atualizado conforme as necessidades do município e as vulnerabilidades constatadas à sombra das normas e procedimentos consolidados na legislação pertinente. “A Defesa Civil realiza ações preventivas, de socorro e recuperativas” – disse. 
Marise disse que a Defesa Civil se reúne habitualmente em paralelo às reuniões de diretoria da Prefeitura e do SAAE, onde analisa os problemas e traça suas linhas de trabalho. Uma dessas reuniões aconteceu pouco antes do registro da enchente, onde foi reafirmado o plano de emergência. O mesmo colocado em prática quando as águas subiram em nossos rios. Esclareceu, mediante uma pergunta, que o trabalho preventivo é genérico, pois não há forma de se prever quando ocorrerá uma enchente e qual o volume de águas que a parte urbana de nossos rios vai receber.
Em resposta a outros questionamento, o coordenador disse que acompanha diariamente a previsão do tempo, através do boletim da Defesa Civil Estadual e do IPMET (Instituto de Pesquisas Meteorológicas da Unesp), que possui radares meteorológicos em Bauru e Presidente Prudente, equipamentos destinados a acompanhar a evolução das precipitações. 
Sobre o dia da enchente, Marise afirmou que antes da ocorrência foi feito um alerta à região vulnerável, por volta das 21h30, através de viaturas da Prefeitura e do SAAE e por comunicado através das emissoras de rádio. Lembrou, no entanto, que até aquele momento ainda não havia informação sobre a magnitude do problema. Inclusive, que naquele dia o boletim da Defesa Estadual não previa chuvas fortes para região. O alerta e a manutenção de plantão das equipes de emergência foram decididos através da observação das imagens do radar do IPMET que, em tempo real, indicaram a ocorrência de chuvas fortes se deslocando para a bacia hidrográfica do rio Lençóis.
TENSÃO
A reunião teve alguns momentos tensos entre Tipó e Marise. Num dos pontos foi citado depoimentos já tomados de atingidos pelas cheias que disseram não terem sido alertados – um deles chegou a declarar que o próprio Marise o teria induzido a dispensar caminhões com os quais pretendia retirar pertences antes da chegada da água -, o que o coordenador desmentiu. Foi sugerida pelo presidente a realização de uma acariação que, pelo que O ECO apurou, ainda não está marcada. 
A CEI já ouviu 18 atingidos pela enchente, os dois técnicos da Prefeitura que realizaram estudos sobre as causas da chuva que provocou a enchente, e o coordenador da Defesa Civil. Na próxima terça-feira haverá mais uma reunião da CEI, quando deverá ser ouvido o comandante do Corpo de Bombeiros local, 1ª sargento Luiz Carlos Sabatini. A Comissão já recebeu documentos da Prefeitura, do Ministério Público e de outros órgãos. Em algumas semanas, depois de terminar as oitivas, todo o material será analisado para a confecção do relatório onde serão inseridas as conclusões. 
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia