Lençóis Paulista e Macatuba estão entre as melhores cidades do país
Cidades são destaque em seus respectivos grupos no Índice de Governança Municipal do Conselho Federal de Administração
Lençóis Paulista e Macatuba estão entre as melhores cidades do país
GOVERNANÇA MUNICIPAL - Lençóis Paulista (foto) e Macatuba obtiveram os melhores índices da região no levantamento do Conselho Federal de Administração
Lençóis Paulista e Macatuba estão entre as melhores cidades do país, de acordo com o Índice de Governança Municipal do Conselho Federal de Administração (IGM-CFA). No levantamento, que consiste em uma métrica da governança pública que avalia todos os 5.570 municípios brasileiros a partir de três dimensões (Finanças, Gestão e Desempenho), ambas ocupam posição de destaque nos grupos de cidades com o mesmo perfil, aparecendo na 12ª e na 22ª posições, respectivamente.
O IGM, divulgado nesta semana, considera informações relativas a 2018, em áreas como saúde, educação, gestão fiscal, habitação, recursos humanos, transparência e violência. Segundo o Conselho Federal de Administração, a elaboração do índice foi feita a partir da construção de um extenso banco de dados com informações obtidas em bases públicas como IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), DataSUS (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde) e STN (Secretaria do Tesouro Nacional).
Lençóis Paulista, que integra o Grupo 6 ao lado de outros 174 municípios brasileiros com população entre 50 mil e 100 mil habitantes, com PIB (Produto Interno Bruto) per capta acima de R$ 20,4 mil, ocupa a 12ª posição no ranking nacional. No levantamento, a cidade aparece com 8,10 de IGM, obtendo índices de 7,56 em Finanças, 7,89 em Gestão e 8,83 em Desempenho. No mesmo grupo, as três primeiras colocações são ocupadas pelas cidades de Votuporanga/SP, Concórdia/SC e Lucas do Rio Verde/MT, com IGM de 8,92, 8,43 e 8,42, respectivamente.
Já a vizinha Macatuba, que integra Grupo 2 ao lado de outros 1.904 municípios com população inferior a 20 mil habitantes e com PIB per capta acima de R$ 15 mil, ocupa a 22ª colocação no ranking nacional, com 8,14 de IGM, obtendo índices de 7,06 em Finanças, 8,37 em Gestão e 8,97 em Desempenho. No mesmo grupo, lideram as cidades de Costa Rica/MS, Holambra/SP e Cafelândia/PR, com IGM de 8,75, 8,52, e 8,49, respectivamente.
Para o prefeito macatubense, Marcos Olivatto (PR), o resultado obtido pela cidade mostra que sua administração está no rumo certo. “Receber uma notícia como essa nos deixa muito satisfeitos. Eu, como prefeito, não posso deixar de destacar o apoio que a administração tem recebido da Câmara Municipal, além do trabalho da minha equipe de governo, que é ‘enxuta’, mas muito competente, e, claro, a dedicação de cada servidor municipal. Trabalhamos pensando em todos os segmentos, equilibrando a questão financeira sem deixar de olhar para as questões fundamentais para o município. Isso mostra que estamos caminhando no sentido certo”, avalia Olivatto.
O chefe do Executivo de Lençóis Paulista, Anderson Prado de Lima (PSB), segue a mesma linha de pensamento. “Estar entre as doze melhores do Brasil, entre as cinco melhores do estado de São Paulo é muito significativo. A Governança Municipal compreende, de uma forma mais sucinta, o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, e a colocação do nosso município prova o trabalho sério desenvolvido pelos nossos mais de dois mil servidores. Agradeço a cada servidor público por esta importante pontuação, pois ela contribui para expressar a seriedade e excelência que há na prestação do serviço público aos nossos cidadãos”, ressalta Prado.
NO TOPO DO RANKING
Considerando apenas os 645 municípios do estado de São Paulo, Lençóis ocupa a 5ª colocação do Grupo 6, ficando atrás apenas de Votuporanga (8,92), Olímpia (8,41), Porto Feliz (8,33) e São João da Boa Vista (8,26). Já Macatuba, figura como na 7ª posição do Grupo 2, superada por Holambra (8,52), Altinópolis (8,40), Buritama (8,38), Gavião Peixoto (8,30), Pedrinhas Paulista (8,23) e Tarumã (8,17).
Já na comparação entre as 39 cidades que compõe a Região Administrativa de Bauru, desconsiderando a divisão por grupos de cidades com o mesmo perfil, Macatuba e Lençóis surgem com o melhor desempenho, liderando a seleta lista dos únicos cinco municípios com IGM superior a 8,0: Macatuba (8,14), Lençóis Paulista (8,10), Bauru (8,06), Guaimbê (8,05) e Mineiros do Tietê (8,03).
DESEMPENHO X POPULAÇÃO
Ambas as cidades também figuram no topo do ranking na comparação com os municípios mais populosos da região: Bauru, com 374.272 habitantes; Jaú, com 148.581 habitantes; Botucatu, com 144.820 habitantes; Avaré, com 90.063 habitantes; e Lins, com 77.510 habitantes. Bauru, Jaú e Botucatu, que integram o Grupo 8 ao lado de outros 152 municípios com mais de 100 mil habitantes e PIB per capta acima de R$ 28,9 mil, ocupam respectivamente a 16ª (8,06), a 39ª (7,64) e a 115ª (6,65) posições no ranking nacional. Avaré e Lins, que integram o mesmo grupo que Lençóis (Grupo 6), aparecem na 66ª (7,25) e na 43ª (7,48) posições, respectivamente.
Demais cidades da região aparecem em situações distintas
Outra localidade da região de circulação do ECO que registra boa colocação no levantamento do Conselho Federal de Administração é Areiópolis. Integrando o Grupo 1 ao lado de outros 1.904 municípios com população inferior a 20 mil habitantes e com PIB per capta de até R$ 15 mil, a cidade aparece na 48ª posição do ranking nacional, com 7,84 de IGM, obtendo índices de 5,97 em Finanças, 8,92 em Gestão e 8,63 em Desempenho.
Pederneiras e Agudos estão pouco abaixo da metade do ranking do Grupo 4, composto por 551 municípios com população entre 20 mil e 50 mil habitantes, com PIB per capta acima de R$ 14,4 mil. Pederneiras ocupa a 187ª posição, com 7,47 de IGM, obtendo índices de 6,24 em Finanças, 7,81 em Gestão e 8,38 em Desempenho. Já Agudos aparece na 194ª posição, com 7,44 de IGM, obtendo índices de 5,33 em Finanças, 7,85 em Gestão e 9,14 em Desempenho.
A pior classificação entre as cidades cobertas pelo jornal é a de Borebi, que ocupa a 1.419ª posição no Grupo 2, que reúne 1.905 municípios com população inferior a 20 mil habitantes e com PIB per capta acima de R$ 15 mil. No levantamento, a cidade surge com 6,34 de IGM, obtendo índices de 6,13 em Finanças, 7,02 em Gestão e 5,88 em Desempenho.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia