Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ministério redefine calendário de vacinação da Gripe
No sábado serão vacinadas crianças de 6 meses até 5 anos, gestantes e mulheres que deram à luz há menos de 45 dias
O Ministério da Saúde distribuiu às Secretarias Municipais de Saúde informativo redefinindo o calendário de vacinação contra a gripe H1N1, na campanha que começa no sábado (30). Inicialmente, estava previsto imunizar todos os grupos neste Dia Nacional de Vacinação Contra a Influenza (Gripe). Mas como existe uma expectativa grande de procura o Ministério definiu a vacinação em três etapas. Neste sábado, na primeira etapa, serão imunizadas crianças entre seis meses e cinco anos, trabalhadores da saúde, gestantes e mulheres que deram à luz há menos de 45, e também indígenas.
As secretarias de saúde de Lençóis Paulista, Macatuba, Agudos e Areiópolis informaram que todas as unidades de saúde estarão abertas neste sábados, das 8h às 17h para imunizar os grupos pertencentes a esta primeira etapa. 
A vacinação dos idosos (mais de 60 anos), de acordo com ofício encaminhado pela Secretaria Estadual, terá início no dia 9 de maio. A terceira etapa da vacinação começa no dia 16, para as pessoas que sofrem de doenças crônicas e para os acamados.
A meta de vacinação passada pela Diretoria Regional da Saúde para Lençóis é de 12.763 pessoas, sendo 3.874 crianças, 1.308 trabalhadores da saúde, 715 gestantes, 117 puérperas e 6.749 idosos.
“Nós sabemos que existe uma expectativa muito grande com relação a essa vacina, por isso nós pedimos para as pessoas procurem a unidade de saúde mais próxima de sua residência, evite procurar o ambulatório de especialidade a não se que você more neste região. Os grupos que serão vacinados agora serão crianças entre 6 meses e 5 anos, trabalhadores da saúde, gestantes e mulheres que deram a luz há 45 dias. Lembrando que a vacinação dos idosos ficou para o dia 9”, disse o diretor de Saúde, Márcio Santarém.
A vacina, que começa a ser disponibilizada em todo o Brasil a partir do dia 30, protege contra a Influenza A H1N1, Influenza A H3N2, e a Influenza B. Ela costuma fazer efeito entre 2 a 3 semanas após a imunização.
Como o Estado de São Paulo vive um surto da doença, nas unidades de saúde da rede municipal, os agentes comunitários estão orientando os pacientes sobre os cuidados com a higiene pessoal e também que não levem crianças sem necessidade – a não ser para consulta. Quem está doente, não deve ir à escola ou trabalho.
Para prevenir a gripe H1N1 é fundamental que as mãos sejam lavadas com frequência; usar lenço descartável para a limpeza no nariz; cobrir a boca quando tossir ou espirrar, evitar tocar os olhos, nariz ou boca; não compartilhar talheres, pratos, copos ou garrafas; deixar os ambientes ventilados; evitar contato com pessoas que apresentem os sintomas; adotar hábitos alimentares saudáveis.
Os sintomas da H1N1 são bem semelhantes aos sintomas de uma gripe comum: tosse seca, febre alta, dor de cabeça, cansaço, dores no corpo e dificuldades respiratórias. Uma vez transmitido o vírus os sintomas levam de três a sete dias para se manifestar.
Atualização
Para os pacientes que procuram a rede com dificuldade respiratória e pneumonia está sendo prescrito o Tamiflu. Até agora Lençóis registrou 10 casos suspeitos de H1N1, sendo seis crianças e quatro idosos. Até agora a prefeitura não recebe nenhuma confirmação do Instituto Adolfo Lutz.
 
Fique por dentro das etapas da vacinação da gripe:
1ª etapa (a partir de 30 de abril)
Crianças entre 6 meses a menores de 5 anos de idade; trabalhadores da saúde; gestantes; puérperas e indígenas.
2ª etapa (a partir de 9 de maio)
Serão vacinadas pessoas idosas, com 60 anos ou mais de idade.
3ª etapa (a partir de 16 de maio)
Serão vacinadas pessoas com comorbidades e reclusos.
 
Macatuba tem dois casos suspeitos de Zika Vírus
A Secretária de Saúde de Macatuba, por meio da assessoria de comunicação, informou que o município aguarda o resultados de exames de dois suspeitos de zika vírus. Segundo informações, são casos registrados no final de março e início de abril em que houve a suspeita e foram colhidos exames. Além disso, a cidade aguarda o resultado de dois exames de dengue. Até o momento não existem casos suspeitos de contágio por H1N1 no município vizinho.
Segundo estudos, muitos pacientes que contraem o zika vírus não apresentam sintomas. Mas nos casos em que há sintomas os mais comuns são febre, erupções na pele, dor nas articulações e olhos vermelhos. O maior temor do zika vírus é o contágio de grávidas, pois estudos mostram que a doenças está relacionada a casos de microcefalia nos bebês.
Ainda de acordo com a prefeitura de Macatuba, após o trabalho de casa em casa e com as crinças, agora os agentes comunitários se concentram no combate de focos do Aedes aegypti, que transmite a dengue, zika vírus e chikungunya, em imóveis fechados.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia