Com novos projetos, O ECO expande atuação no meio digital
Reformulação no site, novos colunistas e produção de conteúdo exclusivo para a internet estão no planejamento para 2020
Com novos projetos, O ECO expande atuação no meio digital
REFORMULAÇÃO - Lançado em fevereiro de 2016, site receberá alguns ajustes para se adequar às novas propostas (Foto: Elton Laud/O ECO
Esta quinta-feira (6) é uma data mais do que especial para O ECO, que completa 82 anos de circulação ininterrupta, reportando os principais fatos e acontecimentos de Lençóis Paulista e região, sempre com comprometimento e respeito aos seus leitores e parceiros. Fundado em 6 de fevereiro de 1938 pelo saudoso jornalista e historiador Alexandre Chitto, o jornal se mantém firme como um dos mais antigos periódicos em atividade no país, sustentado pela força da tradição, mas ao mesmo tempo guiado pelo desejo de constante evolução.
Com muito apreço e respeito ao passado, mas sempre com foco voltado ao futuro, O ECO se mantém atento às transformações do presente e às relações cada vez mais dinâmicas estabelecidas com seu público. Em tempos de permanentes revoluções tecnológicas, o desafio de continuar produzindo conteúdo relevante e de qualidade se renova a cada dia, a cada hora ou na velocidade de um clique. Por isso, o jornal segue se reinventando para seguir contando as melhores histórias, como faz há mais de oito décadas. Não por acaso, este momento é propício para iniciar um novo capítulo.
2020 será um ano de grandes transformações. Após a fusão com a Revista O Comércio, anunciada em novembro do ano passado, novas ideias e antigos projetos que estavam engavetados devem ser colocados em prática gradativamente, a maioria com foco no meio digital. As edições impressas continuam a circular normalmente, aos sábados - esta edição é extraordinária - em Lençóis Paulista, Macatuba, Agudos, Areiópolis e Borebi, mas a presença do jornal passa a ser cada vez mais forte na internet, ampliando o alcance das publicações.
De acordo com Breno Corrêa Medola, proprietário da Editora e Jornal Folha Popular, responsável pela publicação do Jornal O ECO, e da BCM Publicidade, que publica a Revista O Comércio, o planejamento estratégico definido para este ano vai ao encontro do objetivo da fusão das empresas, que foi unir forças para fortalecer cada vez mais os produtos editoriais entregues ao leitor. Compartilhando experiências, recursos e estruturas, os veículos já atuam de forma integrada e as mudanças devem começar a ser sentidas na prática com o lançamento de novos projetos.
“A ideia de manter cada veículo como um produto independente se mantém, porque são propostas diferentes que, apesar de alcançarem uma parcela em comum de leitores, também atingem públicos distintos. Paralelamente, começaremos a oferecer coisas novas já a partir deste mês, aproveitando o mês de aniversário de fundação do ECO. Além de iniciarmos uma reformulação no site, intensificaremos o trabalho nas redes sociais e começaremos a produzir conteúdo exclusivo para a internet. Estamos animados com os novos projetos e acredito que o público vai aprovar”, relata.
TV O ECO foca na produção audiovisual para a internet
Um dos principais projetos previstos para este ano é a implantação da TV O ECO, que deve apresentar uma nova abordagem jornalística, com a mesma qualidade dos conteúdos editoriais, potencializada, no entanto, pelo atrativo dos recursos audiovisuais. O conteúdo será disponibilizado por meio do Youtube, na página do jornal no Facebook e no site www.jornaloeco.com.br.
A partir da próxima semana, a equipe de jornalismo começa a produzir um noticiário com os principais acontecimentos de Lençóis Paulista e região. Agenda Cultural, agenda esportiva, previsão do tempo, notícias policiais, prestação de serviços e diversos outros assuntos de interesse da comunidade local integram a grade do primeiro programa da TV O ECO.
“Começaremos com a produção de um noticiário uma ou duas vezes por semana, mas a ideia é que, em breve, isso se torne um programa com maior periodicidade. Ainda para o primeiro semestre deste ano deveremos anunciar outras novidades. Temos projetos de programas de entrevista, podcasts e outros conteúdos que estão em alta”, adianta Breno Medola.
Ainda de acordo com Medola, os novos conteúdos editoriais, além de ampliarem o alcance da cobertura jornalística, também abrem espaço para uma atuação diferenciada do departamento comercial, que passa a contar com um portifólio mais amplo de produtos.
“Como os novos produtos devem alcançar públicos diferentes e também em locais diferentes, é natural que a gente consiga expandir nossa carteira de clientes. O foco é e sempre será o jornalismo, mas o aspecto comercial é importante para a empresa. Queremos oferecer conteúdo de qualidade às pessoas que nos acompanham, ao mesmo tempo em que oferecemos boas oportunidades de negócio aos nossos parceiros. Tudo caminha junto”, finaliza.
Site apresenta novo time de colunistas
Dentro do projeto de expansão da atuação no meio digital, O ECO também apresenta nesta edição alguns dos novos nomes para o seu time de colunistas, que abordarão temas variados a partir desta semana, como política, educação, cultura, esporte, economia, saúde, entre outros. Todas as apresentações ocorrerão ao longo das próximas semanas no site www.jornaloeco.com.br e nas redes sociais: facebook.com/jornaloeco e instragram.com/jornaloeco. Hoje o destaque fica por conta das colunas de Gaudêncio Torquato, José Renato Nalini e Eduardo Neves.
GAUDÊNCIO TORQUATO
Com passagem pelos principais veículos impressos do Brasil, como Jornal do Brasil, Correio da Manhã, O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo, inclusive com um Prêmio Esso de Jornalismo no currículo (conquistado em 1955), Gaudêncio Torquato é um dos nomes mais respeitados da área no país.
Doutor em comunicação pela USP (Universidade de São Paulo), também construiu uma sólida carreira acadêmica lecionando em conceituadas universidades como Cásper Líbero, Unicamp (Universidade de Campinas) e a própria USP, onde ainda ocupa o posto de professor titular.
Atuando como consultor de comunicação organizacional e de marketing institucional e político, o jornalista e professor publica há vários anos seus artigos nas edições impressas do Jornal O ECO. A partir desta semana, também passa a manter uma coluna no site, com foco nos desdobramentos da política nacional.
JOSÉ RENATO NALINI
Doutor em Direito pela USP (Universidade de São Paulo), José Renato Nalini iniciou a carreira no Ministério Público na década de 1970, mas logo se transferiu para a magistratura. Atuou como juiz em diversas comarcas, até chegar ao posto de desembargador do Tribunal de Justiça, órgão que presidiu entre 2014 e 2015.
Entre 2016 e 2018, após a aposentadoria, aceitou o convite para assumir a Secretaria de Educação do Governo do Estado de São Paulo, da qual esteve à frente até 2018. Atualmente, também atua como reitor na Uniregistral (Universidade Corporativa dos Registradores de Imóveis).
Autor de diversos livros, Nalini é o atual presidente da Academia Paulista de Letras (APL), para a qual foi eleito em 2003. Transitando por diversos temas, também é velho conhecido dos leitores do Jornal O ECO, que a partir de agora têm acesso aos seus artigos através do site.
EDUARDO NEVES
Recém-chegado a Lençóis Paulista, vindo de Lutécia, um pequeno município de menos de 3 mil habitantes localizado na região de Marília, Eduardo Neves de 25 anos, é um entusiasta da preservação histórica, não por acaso, sua identificação com a Cidade do Livro foi imediata, como amor à primeira vista.
Graduado em História pela Unesp (Universidade Estadual Paulista), com mestrado pela Unicamp (Universidade de Campinas) e doutorado iniciado pela USP (Universidade de São Paulo), o jovem se mudou para Lençóis para lecionar história na rede municipal de ensino.
Nem bem chegou e já mergulhou de cabeça neste universo encantador. Suas impressões acerca da história local serão contadas de uma forma bem particular em uma coluna no site do ECO. O ponto de partida para esta odisseia é o acervo do jornal, hoje totalmente digitalizado e disponível na internet.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia