Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lençóis pode ficar sem Facilpa em 2016
Associação Rural, Prefeitura e Câmara se reúnem quinta para decidir se feira acontece ou não neste ano
Lençóis pode ficar sem Facilpa em 2016
SEM FESTA - ARLP discute com autoridades realização ou não de festa

Uma reunião que vai acontecer amanhã vai decidir se a Facilpa (Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) deste ano vai ou não acontecer. A dúvida sobre a realização da festa surgiu nas redes sociais logo após a enchente do dia 13 de janeiro que atingiu 800 pessoas e causou cerca de R$ 68 milhões de prejuízo. A reunião foi confirmada pelo coordenador da Associação Rural, José de Oliveira Prado e deve envolver, além da diretória da ARLP, a prefeita Bel Lorenzetti, o presidente da Câmara Municipal, Prado de Lima, diretores municipais e vereadores. Pelo que O ECO apurou extraoficialmente a feira deve ser mantida neste ano, porque existe um consenso entre as autoridades que a festa é boa para a cidade. “Amanhã vamos todos conversar se a feira deve ou não ser realizada e vamos fazer um comunicado conjunto entre Associação, Prefeitura e Câmara”, disse o coordenador. Prado descartou mudar o formato da feira. “Ou a feira acontece como foi planejada ou não acontece. Várias ideias foram pensadas, mas fica difícil você ou cobrar todos os dias, senão você deixa quem não pode pagar de fora, ou fazer de outro jeito”, disse. Procurada, a prefeita Bel Lorenzetti, declarou que neste ano o repasse previsto para a Facilpa já teve uma redução de 20% por conta da crise. “Neste ano, o previsto no orçamento foi R$ 400 mil. 20% a menos que no ano passado, que foi de R$ 500 mil”, disse. “Além disso, temos que pensar que a feira representa uma receita importante para as entidades de Lençóis”, completa a prefeita. O presidente da Câmara disse que todos estão buscando um entendimento para tomar a melhor decisão. 

comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia