Prefeitura flexibiliza atendimento do comércio local
Desde ontem, estabelecimentos comerciais considerados como atividades não essenciais já podem funcionar
Prefeitura flexibiliza atendimento do comércio local
AGUDOS - Comércio em Agudos voltou a funcionar ontem, com restrições (Foto: Wikipedia)

Desde ontem, estabelecimentos comerciais considerados como atividades não essenciais já podem funcionar em Agudos, com atendimento por meios telefônico e eletrônicos, no formato delivery (entrega na casa do consumidor) e também por meio do sistema drive thru (retirada dos produtos na entrada dos estabelecimentos).

A medida da Prefeitura de Agudos foi divulgada neste sábado (28) e considera o período de isolamento social e enquanto durar a quarentena imposta no Estado. Um Decreto que define as medidas foi publicado na tarde de ontem.

Para funcionar, o estabelecimento deve seguir algumas determinações contidas no Decreto, entre elas, atender das 12h às 18h, implantar barreiras de proteção higiênicas, manter distância mínima entre os consumidores, entre outras.

Nele, também está definido que estabelecimentos relacionados a atividades de cabeleireiro, barbeiro, estética e higiene pessoal poderão funcionar com atendimento individual, agendamento prévio, desde que não criem a aglomeração de pessoas. Para isso, é obrigatória a utilização de equipamentos descartáveis para o atendimento (luvas, tocas, copos, etc.), além da adoção das medidas de segurança previstas anteriormente.

Permanece suspenso o funcionamento de bares, academias, casas noturnas, museus, centros culturais, bibliotecas, clubes de lazer, e estabelecimentos congêneres. O decreto completo pode ser acessado na página da Prefeitura https://www.imprensaoficialmunicipal.com.br/agudos

A Prefeitura antecipou que estão mantidas todas as medidas de segurança em saúde pública tomadas anteriormente, como o isolamento social e fechamento do comércio em geral. Mas, com a ampliação da oferta de serviços, a Prefeitura tem objetivo de reduzir o reflexo econômico em Agudos das medidas restritivas adotadas em todo país.

Mas, assim como fez até agora, mantém sob avaliação cada nova decisão, considerando o resultado social e podendo revogar tais medidas a qualquer momento, caso demonstrem um risco à saúde da população.

comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia