Publicidade
Publicidade
Publicidade
Com ataques a Bel e Marise, Câmara abre Cei da Comunicação
Jonadabe quer apurar denúncia anônima que diz ter recebido e, em discurso, mira no governo, veículos e outras empresas
Com ataques a Bel e Marise, Câmara abre Cei da Comunicação
Assinara o pedido de abertura da CEI Tipó, Nardeli, Jonadabe, Junior Ticianelli, Pita e Chico Naves (
A Câmara Municipal de Lençóis Paulista toma as providências iniciais para a instalação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) com a finalidade de apurar “supostas irregularidades e fraudes na contratação de serviços e licitações pela área de comunicação e publicidade na Prefeitura”. O pedido de criação do órgão apurador foi formulado pelos vereadores Jonadabe José de Souza (PTB), Gumercindo Ticianelli Junior (DEM), Humberto José Pita (PRB), Nardeli da Silva (PMDB), Ailton Tipó Laurindo (PMDB) e Francisco de Assis Naves (PDT), com base nas denúncias anônimas que Jonadabe noticiou ter recebido no mês passado.
Diferente das CEIs anteriores, que foram submetidas ao plenário, como a CEI da Enchente, por exemplo, a instalação desta foi decidida monocraticamente pelo presidente Anderson Prado de Lima (Rede) que, para tanto, invocou jurisprudência decorrente dos artigos 58 da Constituição Federal e 3 da Constituição Estadual que, segundo disse, dispensa a oitiva do conjunto dos vereadores quando o pedido é apresentado por um terço ou mais dos vereadores. A Câmara lençoense é composta por 12 vereadores e, nestas condições, basta que quatro deles queiram, poderão instalar quantas CEIs o regimento permitir, sem que os demais tenham o direito de se manifestarem.
Ao declarar a CEI aprovada, Prado de Lima deu prazo até o meio dia de ontem (17) para os partidos com representação na Casa se manifestassem sobre o interesse de participar da comissão. Manifestaram oficialmente o interesse em fazer parte, os vereadores Jonadabe (PTB), Tipó (PMDB), Pita (PRB), Júnior Ticianelli (DEM) e Dodô Santana (PSDB). São cinco vereadores para três cargos (presidente, relator e membro). A escolha deve ocorrer na próxima sessão da Câmara, na segunda-feira (23).
O CASO
Recorde-se que na sessão de 25 de abril, Jonadabe apresentou o caso na Câmara e disse de sua intenção de propor uma CEI que, na sequência à perseguição sistemática que faz a este jornal, pretendia fosse “CEI do Jornal O Eco”. Citando o calhamaço que disse ter recebido anonimamente, afirmou que o município teria gasto R$ 5 milhões em publicidade. Dava a entender que isso teria ocorrido nos últimos 5 anos. Na ocasião, a prefeita Bel Lorenzetti rebateu a informação do vereador e disse que os gastos foram de R$ 2,46 milhões, entre janeiro 2011 e dezembro de 2015, tudo mediante licitação e com documentação comprobatória de execução do referidos serviços.
Jonadabe ataca imprensa, políticos e empresários
O vereador Jonadabe José de Souza em sua justificativa para o pedido de abertura da CEI, além de criticar O ECO e o empresário Moisés Rocha, também abriu fogo contra outros veículos da cidade, comunicadores, políticos e até empresários do setor sucroenergético. Em sua fala, durante a sessão, onde roncou valentia, dizendo mais uma vez que com ele “tem café no bule”, classificou o relacionamento da Prefeitura com a mídia como “maracutaia”, palavra que afirmou ter aprendido recentemente. O parlamentar reclamou da postura de O ECO e de mudanças constantes no quadro societário de várias empresas.
Durante sua fala, Jonadabe chegou a acusar a prefeita Bel Lorenzetti de se apropriar de dinheiro público. “A Bel é dona da rádio e do jornal Tribuna e teve a capacidade, para pegar dinheiro público, de tirar o jornal do nome do marido dela, colocar no nome do Ferreira (Antonio Luiz Ferreira); o Ferreira tinha que prestar serviço prá prefeitura, tirou do nome dele e passou para o da filha”. Após falar de outras empresas, também criticou O ECO por receber “quase R$ 150 mil” da Prefeitura e estranhou que o radialista Carlos Alberto Duarte, na sua afirmação, “funcionário do ECO”, também receba da Prefeitura.
Ainda deixou entre suas palavras carregadas de autoelogio, críticas ao vice-prefeito e diretor do SAAE, José Antonio Marise, e à prefeita: “Meu papel aqui é desmascarar o senhor Marise. A ‘Princesa dos Canaviais’ – referência à prefeita Bel - nem precisa, ela protege os donos das represas” – disse, insinuando ainda que a enchente em Lençóis deu-se em razão da eliminação de curvas de nível nas lavouras de cana-de-açúcar, que abastecem o setor sucroenergético da cidade.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia