Morador da Cecap reclama da falta de limpeza nos containers
Problema acarreta no mau odor e na proliferação de insetos e bactérias próximo às casas
Morador da Cecap reclama da falta de limpeza nos containers
RECLAMAÇÃO - Falta de limpeza de containers de lixo tem gerado queixa de alguns moradores da Cecap (Foto: Flávia Placideli/O ECO)
A falta de limpeza e higienização de containers de lixo tem atrapalhado a vida dos moradores do Núcleo Habitacional João Zillo (Cecap), que passaram a receber em março a coleta mecanizada do programa Coleta Certa. O projeto, implantado pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal, tem gerado algumas reclamações por parte de quem convive próximo aos contentores.
É o caso de Lourival Alves Camargo, de 64 anos, que procurou a reportagem do Jornal O ECO para relatar que na Rua Zélia Gattai a falta de limpeza dos containers, há mais de um mês, tem incomodado moradores. A principal queixa apontada é a proliferação de insetos nos locais e as possíveis contaminações por doenças, principalmente nas crianças.
“A coleta de lixo vem sendo realizada normalmente, porém, a reclamação de nós, moradores, é da falta de limpeza dos contentores. Os restos de comidas e líquidos tem gerado mau odor, o que acarreta na proliferação de insetos, como abelhas e mosquitos, que podem acabar nos transmitindo doenças”, relata Camargo, que também fala de outra queixa.
Segundo ele, muitos moradores não fazem o descarte do lixo como deveriam nos contentores azuis (para lixo orgânico), e verdes (para material reciclável). Além disso, algumas pessoas que recolhem material reciclável, muitas vezes, deixam as tampas abertas ou derrubam recipientes que acabam se tornando criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.
“Estamos passando por uma grande pandemia, que é o novo coronavírus (Covid-19), mas também não podemos ignorar o grande problema de saúde pública que é a dengue e a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que, infelizmente, parece que ficou esquecido para a Prefeitura Municipal de nossa cidade”, acrescentou Camargo.
SITUAÇÃO ATÍPICA
À reportagem do Jornal O ECO, Edéria Pereira Gomes Azevedo, secretária de Agricultura e Meio Ambiente, informou que, uma vez por mês, os contentores são trocados para lavagem e que, depois da higienização, a equipe responsável pela coleta de lixo faz a realocação da caçamba no mesmo local, nos bairros em que já recebem o programa Coleta Certa.
Porém, em virtude da redução de horários de coleta, férias de funcionários e afastamento de pessoas do grupo de risco, essa higienização pode estar demorando em alguns bairros. “Pedimos para quando passar de um mês sem a devida limpeza que um morador que resida próximo aos contentores entre em contato com a Secretaria, que iremos providenciar a troca do contentor para a higienização”, ressaltou a secretária.
O telefone de contato da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, que coordena a coleta seletiva de lixo através de diversos programas e do projeto Coleta Certa, é o (14) 3269-7054. 
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia