Para aumentar isolamento, Doria quer antecipar feriado de 9 de julho
Prefeito de São Paulo também quer antecipar feriados
Para aumentar isolamento, Doria quer antecipar feriado de 9 de julho
EM ANÁLISE - Se medida de antecipar o feriado for aprovada, ela será válida para todo o estado de São Paulo (Foto: Divulgação)
O governador de São Paulo, João Doria, encaminhou ontem (18) para a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) a proposta de antecipar o feriado estadual de 9 de julho para o dia 25, segunda-feira. A medida, caso aprovada pelos deputados estaduais, valerá para todo o estado de São Paulo.
O objetivo do governador é aumentar a taxa de isolamento no estado, que tem ficado abaixo das expectativas, só aumentando nos feriados e finais de semana. No domingo (17), a taxa de isolamento foi de 54%, abaixo do mínimo considerado necessário de 55% para diminuir a propagação do novo coronavírus (Covid-19) e evitar um colapso no sistema de saúde.
“A expectativa é de que o projeto possa ser analisado em regime de urgência e possa ter a aprovação majoritária dos deputados da Assembleia Legislativa do estado de São Paulo”, disse Doria.
Prefeitura
Para aumentar o isolamento social na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas também propôs à Câmara Municipal para antecipar dois feriados municipais: o de Corpus Christi, em junho, e o da Consciência Negra, em novembro, para que ocorram ainda nesta semana, na quarta-feira (20) e quinta-feira (21). Com a medida, a cidade de São Paulo teria um feriado prolongado, começando na quarta-feira e terminando na segunda-feira (25), com a sexta-feira (22) de ponto facultativo. 
“Com essa decisão, teremos um período mais prolongado de feriados e, com isso, desejamos ter índices [de isolamento] semelhantes ao dos demais feriados e aos finais de semana”, disse Doria.
O governador recomendou que prefeitos do estado também repitam o gesto do prefeito Bruno Covas para antecipar seus feriados municipais.
Com a antecipação dos feriados, tentando aumentar o índice de isolamento, os governos de Doria e Covas buscam evitar a decretação do lockdown, medida mais rígida e restritiva de isolamento. Segundo Doria, o protocolo para decretar o lockdown já está pronto, mas ainda não deve ser adotado no estado. “Não estamos decretando o lockdown nem recomendando. Temos o protocolo para isso. Mas esta iminência não existe neste momento. Estamos tentando todas as alternativas possíveis para viabilizar o achatamento desta curva, utilizando todos os mecanismos, inclusive esse de extensão de feriados para alcançar bons índices [de isolamento], obtidos nos feriados e finais de semana”, disse.
Segundo o prefeito Bruno Covas, a prefeitura tem feito um esforço em aumentar o número de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) e de enfermaria. A taxa de ocupação de leitos têm sido alta, de 76% em leitos de enfermaria e de 91% em leitos de UTI, o que demonstra que os hospitais municipais ainda estão conseguindo atender os pacientes que precisam de internação por causa do novo coronavírus. Mas próximo da beira de um colapso, o que pode fazer com que nem todos os pacientes consigam ser atendidos nos hospitais.
“De cada dez pessoas que conseguem tratamento aqui na cidade de São Paulo, conseguimos salvar nove vidas. Uma recuperação de 90% das pessoas que conseguem tratamento. Toda nossa preocupação em aumentar o isolamento social é para não deixar que todo mundo fique doente ao mesmo tempo e para que não tenhamos que lotar nosso sistema de saúde”, disse o prefeito.
Fonte: Agência Brasil
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia