Publicidade
Publicidade
Publicidade
Preço da Área Azul sobe e população reclama
Tarifa cobrada pela hora do estacionamento na região central da cidade subiu 34%, passando de R$ 1,5 para R$ 2
Preço da Área Azul sobe e população reclama
LOTADO - Área Azul conta atualmente com 700 vagas, mas cerca de 300 é isenta de cobrança - (Foto: Divulgação)
Desde a última quinta-feira (2), os motoristas que precisam estacionar seus veículos no Centro de Lençóis Paulista estão pagando mais caro pelo bilhete da Área Azul. O reajuste, que foi de 34% e elevou o preço da tarifa/hora de R$ 1,5 para R$ 2, segundo a Prefeitura Municipal, foi necessário para manter viabilidade do serviço, mas a medida tem gerado reclamações por parte dos usuários.
Apesar de utilizar pouco o serviço, o soldador Clodoaldo Leite entende como desnecessário o aumento. “Não sou contra a cobrança, mas não vejo justificativa para aumentar o valor. Principalmente no momento econômico em que vivemos. Tudo sobe, e quando sobe não é pouco, menos o salário do trabalhador, que tem sempre que arcar com as consequências”, relata.
“Na minha opinião não deveria nem existir a Área Azul, já pagamos tanto imposto e não acho justo termos que pagar para estacionar na rua. Mas já que tem que ser cobrado, eu acho que R$ 1,5 estava de bom tamanho”, comenta a manicure Elenice Vieira.
Nestor Amorim, representante comercial, conta que viaja a região inteira por conta do trabalho e achou caro o preço cobrado em Lençóis, comparado a cidades maiores da região, como em Bauru e Marília. Em Bauru, a tarifa também foi reajustada este mês, passando de R$ 1,5 e R$ 2 para R$ 1,8 e R$ 2,3 por uma e duas horas, respectivamente. Já em Marília, a tarifa/hora passou recentemente de R$ 1 para R$ 1,5. “Nessas cidades a quantidade de vagas para estacionar ainda é bem maior. Aqui você precisa, às vezes, ficar rodando para achar onde estacionar”, ressalta Amorim
 
Entidades e prefeitura dizem que manutenção da Área Azul depende do aumento
Segundo o diretor de Finanças da prefeitura, Júlio Antonio Gonçalves, a decisão de reajustar a tarifa foi tomada após estudo apresentado pelas legiões Mirim e Feminina - responsáveis pela manutenção da atividade -, que alegam que a soma da arrecadação da Área Azul e do subsídio destinado mensalmente pela prefeitura a cada entidade não estava sendo suficiente para manter o serviço.
"O aumento foi necessário para manter o equilíbrio financeiro. Para ajudar no custeio, a prefeitura repassa mensalmente a cada entidade a quantia de R$ 6,375 mil - o que totaliza R$ 76,5 por ano -. Ocorre que este valor, somado à arrecadação da Área Azul, passou a ser insuficiente", explica.
Fatores como os reajustes do salário mínimo e inflação medida pelos indicadores oficiais entre 2014 - quando houve o último reajuste e a tarifa passou de R$ 1,25 para R$ 1,50 - e 2016; além da redução da oferta do número de vagas em decorrência da regulamentação de vagas obrigatórias e exclusivas para idosos, deficientes, carga e descarga, constam no Decreto Executivo 141/2016 como justificativas para o aumento. 
"Além dos salários dos 48 legionários - 24 da Legião Mirim e 24 da Legião Feminina - e de outros quatro funcionários que supervisionam o trabalho, temos outras despesas para manter o serviço. A redução do número de vagas foi grande. Antes tínhamos 700 e hoje estamos com menos de 400. Isso comprometeu bastante a receita. Isso, somado aos reajustes do salário mínimo, que é usado como base para o pagamento do legionários, ocasionou uma situação insustentável", relata José Fernandes Coneglian, um dos coordenadores da Área Azul.
A Área Azul está situada entre a Rua Piedade e Av. 9 de Julho e Rua Geraldo Pereira de Barros e Av. 25 de Janeiro. A arrecadação, segundo as entidades, é integralmente utilizada para o pagamento dos legionários e demais despesas relativas à manutenção do serviço.
 
FALA POVO
O que você tem a dizer sobre o aumento do valor cobrado na Área Azul?
Nick Alves, eletricista
"Eu achei muito caro. O valor que era cobrado estava de bom tamanho. Não vejo necessidade para um aumento. Sem contar que o valor cobrado deveria ser proporcional ao tempo em que a pessoa fica estacionada. Não acho justo que uma pessoa que fique aqui por uma hora e uma que fique por 20 minutos pagarem o mesmo valor"
Leandro Carlos Sacoman, tratorista
"Eu acho que é um aumento abusivo. R$ 1,50 já era caro para quem usa bastante. O valor já está ficando quase o mesmo do que alguns estacionamentos cobram pela hora. Sem contar que a gente tem que ficar esperando a vontade dos mirins. Já fui multado porque não tinha ninguém para colocar o bilhete a hora que estacionei"
Mauro Carpanezi Júnior, motorista
"Na verdade eu costumo estacionar pouco aqui na Área Azul, mas esse é um aumento que deve pesar bastante para quem precisa parar direto aqui no Centro. Aumentou R$ 0,50, mas multiplica isso por vários dias para ver. E não importa se você vai ficar apenas por alguns minutos, tem que pagar por uma hora de qualquer jeito"
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia