Publicidade
Publicidade
Publicidade
PMDB quer ter candidato a prefeito em Lençóis
Nardeli da Silva diz que Baleia Rossi exigiu que cidade tenha candidato; Tipó diz que seu nome está à disposição do partido
PMDB quer ter candidato a prefeito em Lençóis
MAIS UM NOME – Tipó lança pré-candidatura a prefeito e engrossa fila de nomes da oposição que já tem Humberto Pita e Prado de Lima (Divulgação/Câmara)
O vereador Nardeli da Silva disse, na sessão de segunda-feira (13), que o PMDB está exigindo que o partido tenha candidato a prefeito em todas as cidades em que tem diretório constituído, como é o caso de Lençóis. Segundo ele, o pedido foi feito por telefone pelo deputado federal Baleia Rossi, presidente estadual da sigla. Nardeli afirmou que não pode ser o candidato e que o nome natural é do colega Ailton Tipó Laurindo. Em seu discurso, Tipó disse que tem diversos compromissos profissionais, mas que seu nome está à disposição do partido e lançou sua pré-candidatura à Prefeitura de Lençóis.
“Eu estive falando com o Baleia Rossi, justamente sobre a emenda de R$ 200 mil para o canil, e o deputado tocou em outro assunto. O deputado quer que o PMDB tenha um pré-candidato a prefeito de Lençóis. É exigência do partido. Eu não me dispus, porque não posso. O deputado pediu que o senhor, doutor Tipó, seja o candidato do partido, para que possamos ajudar mais nossa cidade. Então estou aqui em nome do Baleia Rossi deixando o recado”, disse Nardeli.
Com a entrada de Tipó na disputa pela cadeira do Executivo Municipal, a oposição à prefeita Bel Lorenzetti (PSDB) agora tem três nomes como pré-candidatos. Além de Tipó, o médico e ex-presidente da Câmara de Lençóis Humberto José Pita (PRB) anunciou sua intenção de concorrer ao cargo e foi o primeiro da oposição a lançar a pré-candidatura. Em seguida foi a vez do atual presidente Anderson Prado de Lima (Rede) confirmar que gostaria de disputar o cargo majoritário nas eleições de outubro deste ano. Além dos três, o cenário eleitoral tem até o momento como pré-candidatos também o pastor Claudio Aguiar, que se diz independente, e o ex-prefeito e atual vice, José Antonio Marise, que representa a atual administração do PSDB.
“Eu confesso que foi uma surpresa para mim. Nesse momento meus planos, todos que me conhecem sabem, é sim trabalhar por uma candidatura da oposição. Isso não tenha dúvida. Todos sabem também das dificuldades que eu tenho nesse momento, com a expansão de nossos negócios profissionais. Mas eu recebo com muita alegria essa indicação. E para finalizar esse assunto, eu digo o seguinte Nardeli: o meu nome sempre esteve à disposição de Lençóis Paulista. E não seria agora que não estaria. Mas eu sou o grande defensor de uma candidatura única na oposição”, declarou o peemedebista Tipó.
Tipó afirmou ainda em seu discurso que atualmente integra em Brasília, no Congresso Nacional, a Frente Parlamentar da Previdência Social que discute as mudanças no regime da aposentadoria e no INSS. Disse que seria difícil arranjar tempo para se dedicar de forma integral a uma missão como a de ser pré-candidato a prefeito de Lençóis. No entanto, afirmou que seu nome está à disposição e que confirma que é pré-candidato a prefeito.
ARTICULAÇÃO
Apesar do anúncio da pré-candidatura, circula nos bastidores políticos que Tipó, na verdade, estaria costurando uma candidatura única da oposição, que é o seu grande desejo, conforme deixou claro em seu discurso na Câmara. Nesse desenho, Pita retiraria sua candidatura para apoiar uma chapa encabeçada por Prado de Lima, como candidato a prefeito, e Tipó como vice.
Em 2015, Tipó renunciou a presidência da Câmara por compromissos profissionais
Em fevereiro de 2015, pouco mais de 30 dias após ter sido eleito, em dezembro de 2014, o vereador Ailton Tipó Laurindo renunciou ao mandato de presidente da Câmara Municipal de Lençóis Paulista. À época, Tipó alegou compromissos profissionais para deixar o cargo, já que como presidente da Casa de Leis não poderia exercer a advocacia, nem cuidar de seus escritórios.
Depois de ter sido eleito presidente por ter sido o vereador mais votado numa disputa apertada com o vereador tucano André Paccola Sasso, o Cagarete, que terminou em 6 votos a 6, Tipó iniciou intensas articulações políticas que levaram à eleição do vereador e então colega do Partido Verde, Anderson Prado de Lima à presidência da Câmara.
Diferente da eleição que ocorreu em dezembro de 2014, em que houve empate, em fevereiro de 2015 Prado de Lima foi eleito por 6 votos a 4. Jonadabe José de Souza (que estava no SDD e agora foi para o PTB) que havia votado em André Paccola Sasso (PSDB) na primeira eleição, mudou o voto e apoiou Prado de Lima. O movimento emplacou Jonadabe na 1ª Secretaria da Mesa Diretora e também consolidou sua mudança política para a oposição.
Francisco de Assis Naves (eleito pelo PSDB e que agora está no PDT), não foi à sessão, o que também pesou para a derrota do grupo situacionista. O vereador José Pedro de Oliveira (PR), o Bentinho, se absteve de votar. Chico Naves hoje também tem votado sistematicamente com o grupo de oposição à prefeita Bel Lorenzetti na Câmara Municipal.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia