Publicidade
Publicidade
Publicidade
Polícia investiga negligência médica na UPA
Segundo família, medico seria responsável por uma fratura na perna do bebê; médico nega
Luiz Claúdio Massa confirmou ontem que a Polícia Civil investiga caso de negligência médica na cidade. A família de um recém-nascido de apenas 20 dias registrou boletim de ocorrência contra profissional da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de saúde de Lençóis Paulista alegando que a perna do bebê foi fraturada durante procedimento médico.
Familiares do bebê contaram à polícia que a mãe tem uma doença que enfraquece os ossos e, por consequência, o bebê também teria nascido com problemas na estrutura óssea. Na semana passada, a avó levou a criança até uma unidade de saúde porque ela aparentava estar com cólicas. A mulher alega que alertou o profissional que atendeu o recém-nascido sobre o problema de saúde dele. Na consulta, de acordo com o relato da avó ao delegado, médico teria feito massagem e movimentos com as pernas do bebê para alívio das cólicas. A avó contou que no último final de semana, o neto chorava com insistência.
No dia 25, segunda-feira, familiares do recém-nascido retornaram à unidade de saúde e o menino teria sido submetido a um exame de raio-X, que constatou uma fratura no fêmur. Os pais do bebê registraram boletim de ocorrência acusando o profissional de ter causado a lesão durante a consulta. Em conversa com a família, por sua vez, médico alegou que a criança teria chegado machucada à unidade. O bebê foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Bauru para a realização de exame de corpo de delito. O delegado Renzo Santi Barbin preside o inquérito da Polícia Civil.
Procurada, a Diretoria de Saúde informou que nem a pasta, nem a OCAS foram formalmente notificados sobre este caso. A Diretoria de Saúde aguarda o laudo do IML (Instituto Médico Legal) para tomar as providências cabíveis.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia