Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lençóis tem 1973 filiados em 31 partidos
Cidade tem 31 partidos habilitados, mas parte deles não reúne número de filiados para preencher as vagas de candidatos
Lençóis tem 1973 filiados em 31 partidos
VOTAÇÃO – 1973 pessoas estão filiadas a partidos políticos em Lençóis Paulista para concorrer a um cargo eletivo em 2 de outubro - Foto: Divulgação
Trinta e um partidos políticos estão regularmente habilitados para participar das eleições deste ano em Lençóis Paulista. Somados, eles reúnem 1973 filiados, dentre os quais deverão sair os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador. São esses homens e mulheres que, no período de 20 de julho a 5 de agosto realizarão as convenções partidárias, onde serão escolhidos os candidatos e formalizadas as coligações daquelas agremiações cujos filiados decidirem marchar em conjunto em direção às urnas.
De acordo com pesquisa na página Filiaweb, do Tribunal Superior Eleitoral, em ordem decrescente de filiados, os partidos habilitados em Lençóis Paulista são PSDB, com 441 filiados, PP 418, PMDB 367, PTB 326, PDT 203, PSL e PT 191, PC do B 188, PR 182, PRP e PV 140, PPS 136, PSB 102, DEM e PHS 66, PSC 65, PRB 49, PEN 33, PSOL 30, PSDC 29, PMN 24, PT do B  e PTC 23, PRTB 22, SD 18, REDE 16, PSD 14, PTN 10 e PROS 7. Partido Novo e PCO possuem apenas um filiado em Lençóis. PAN, PCB, PMB, PPL e PSTU não tem representação no município.
 
FORMAÇÃO
Até a realização das convenções, os integrantes dos partidos com afinidade entre si vão negociar as coligações, que poderão ser só para as eleições majoritárias (prefeito e vice-prefeito) ou para as proporcionais (vereador). Nada impede que se coliguem totalmente. Para a candidatura a vereador, no caso de Lençóis Paulista, onde a Câmara é composta de 12 cadeiras, o partido que concorrer isoladamente terá o direito de apresentar até 18 candidatos (150% do número de vagas em disputa).
As coligações terão o direito de apresentar 24 candidatos (200% das vagas). A soma dos votos obtidos pelo partido ou pela coligação definirá o número de cadeiras que cada um terá na nova Câmara e elas serão ocupadas pelos candidatos que obtiverem o maior número de voto no partido ou na coligação. Essa formação de quociente é que leva, muitas vezes, candidatos com pequeno número de votos a se elegerem se estiverem dentro de um partido ou coligação bem votados.
 
CALENDÁRIO
Começam agora a vigorar as restrições estabelecidas no calendário eleitoral. A partir do próximo dia 30, é vedado às emissoras de rádio e de televisão transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena, no caso de sua escolha na convenção partidária, de imposição da multa e de cancelamento do registro da candidatura do beneficiário.
A partir de 2 de julho, os agentes públicos (prefeitos, presidentes de Câmaras e dirigentes de autarquias) nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional e, ainda, ex officio, remover, transferir ou exonerar servidor público, na circunscrição do pleito, até a posse dos eleitos, sob pena de nulidade de pleno direito. 
Também serão proibidas, a partir dessa data, a contratação com recursos públicos de shows artísticos para inaugurações, a presença de candidatos nessas festas e, também a participação de programas de rádio e televisão.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia