Publicidade
Publicidade
Publicidade
Escola Municipal leva ouro no Estado e prata no Brasil
Competição envolveu mais de 30 mil alunos brasileiros; nessa competição, uma classe inteira participou
Os alunos do 5º ano A da Escola Municipal Eliza Pereira de Barros, no Centro de Lençóis Paulista, foram destaque na Olimpíada Internacional de Matemática Sem Fronteiras: conquistaram medalha de ouro na etapa estadual e prata na nacional.
Criada em 1989 pelo Ministério da Educação da França, a competição envolveu 28 países e  mais de 200 mil alunos, dos quais 30 mil brasileiros. A prova é aplicada em 9 diferentes idiomas e, no Brasil, é organizada pela Rede POC (Programa de Olimpíadas do Conhecimento), um programa de intercâmbio científico que tem como objetivo estimular o interesse entre os estudantes pela Ciência, Tecnologia e Inovação.
A professora Priscila Camargo Duarte Romani foi quem inscreveu sua turma para participar da iniciativa. “Eu sempre busco práticas inovadoras para trazer um aprendizado diferenciado para todos. E essa iniciativa tem um processo inovador”, disse.
A aluna Ana Clara Gomes, de 11 anos, reconheceu espontaneamente o empenho da professora, o que a fez derrubar uma lágrima de emoção: “Ela sempre está dando força pra que a gente melhore mais a cada dia”, comentou.
Diferente
Segundo Romani, esse processo se difere de outras competições de matemática à disposição das escolas porque não é direcionado apenas para os alunos que possuem altas habilidades nessa disciplina, mas para toda a classe. A competição oferece exercícios que estimulam a imaginação, a racionalização e a formalização das situações cotidianas, slém de diversão, iniciativa pessoal, organização e cooperação.
Para estimular o sucesso dos alunos, a professora ofereceu no período da tarde (eles estudam durante a manhã) um grupo de estudos preparatórios, quando eles realizaram as provas dos anos anteriores como treinamento. O aluno André Luiz Pereira de Lima, de 10 anos, foi um dos que participaram desse grupo. “Foi bom porque a gente já foi se acostumando com a prova. E a gente aprendeu mais também”, conta.
Contente com o resultado, a professora divide o mérito com toda a escola. “É um trabalho da escola, de toda a nossa equipe, já que esses alunos estão aqui desde o primeiro ano”.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia