Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lençóis perdeu 753 postos de trabalho em 2015, revela o CAGED
Queda das vagas no mercado local é reflexo da crise e reproduz o ocorrido no Estado e no País
Lençóis perdeu 753 postos de trabalho em 2015, revela o CAGED
Rocinha diz que Lençóis oferece cursos de capacitação aos desempregados
Lençóis Paulista teve fechados 753 postos de trabalho durante o ano de 2015. Esse número consta do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mantido pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Segundo o levantamento, o município começou registrando 18.356 empregos formais em janeiro e, durante o ano registrou 8.200 admissões e 8.973 demissões em 3.829 estabelecimentos empregadores.
O setor que mais “encolheu” em termos de empregabilidade no período foi o da indústria de transformação, que diminuiu 340 postos de trabalho, seguido do comércio com 242, construção civil 156, agricultura 39, administração pública 10, serviço industrial de utilidade pública 4 e extração mineral 1. O único a crescer foi o setor de serviços, que aumentou 40 vagas no período.
Dezembro foi o mês de maior número de demissões em relação às admissões, levando a massa de trabalho local a encolher 555 postos de trabalho, possivelmente impactada pelas demissões resultantes da desativação da linha de produção da indústria OmiTextil. Também foram negativos os meses de março (- 139), maio (-17), junho (-215), julho (-117), setembro (-337), outubro (-52) e novembro (-22). O mercado só aumentou em janeiro (+ 289), fevereiro (+107), abril (+88) e agosto (+219).
ATÍPICO
O diretor municipal de Desenvolvimento e Emprego, Altair Aparecido Toniolo, o Rocinha, disse que o ano passado foi atípico. Mesmo com toda a sazonalidade dos setores, o mercado lençoense não sofre tanta oscilação no intervalo de um ano. Ele lembrou que nos anos anteriores, só em 2014, quando a crise já despontava, é que Lençóis Paulista teve redução de empregos (-321). Nos anos anteriores, segundo a medição do próprio CAGED, o município sempre aumentou seus postos de trabalho. Em 2013 foram 252 empregos a mais; em 2012, 57; em 2011, 179; em 2010, 233;em 2009, 389; em 2008, 1442; e em 2007, 1610. 
Rocinha disse que, principalmente em função da crise, sua diretoria tem desenvolvido todos os esforços para qualificar e encaminhar os interesses dos trabalhadores lençoenses. Tanto para deixá-lo apto a encarar o mercado, cada dia mais exigente, quando para proporcionar condições de sua atuação como empreendedor individual no caso de não vier a conseguir colocação ou vislumbrar a possibilidade de produzir e viver sem ser empregado. 
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia