Publicidade
Publicidade
Publicidade
Lençoense é vitima de golpe do falso exame médico
Bandido ligou para vítima dizendo que sua mãe que está internada na UTI do Hospital Piedade precisava fazer um exame urgente
Lençoense é vitima de golpe do falso exame médico
GOLPE - Bandido se identificou como sendo do Hospital Piedade para pedir dinheiro à vitima que, desesperada, aceitou
Além da dor de estar com a mãe internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital algumas famílias ainda precisam lidar com um golpista que se aproveita do estado das vítimas para tirar dinheiro. Foi o que aconteceu com a família de uma mulher que está internada, em estado grave, no Hospital Nossa Senhora da Piedade na manhã de hoje.
O filho da mulher foi procurado por um falso médico pedindo R$ 1,5 mil para que ela fizesse um exame urgente. Como o bandido tinha todos os dados de sua mãe, inclusive o nome completo e o estado de saúde dela, ele depositou R$ 500 em uma conta.
“Ele ligou para mim e se identificou como doutor Celso, do hospital, e disse que minha mãe precisava de uma tomografia computadorizada completa e que o SUS não cobria e como ele tinha todos os dados dela eu aceitei. Ele me pediu R$ 1,5 mil e eu disse que tinha todo esse dinheiro para depositar hoje de manhã. Ele disse então que o médico já estava vindo para Lençóis para faze o procedimento e disse que se eu não tinha como dar R$ 500 como sinal. Naquele desespero eu aceitei e fiz o depósito na conta indicada por ele”, disse João Moraes.
Depois de fazer o depósito na conta indicada pelo bandido, Moraes foi ao hospital e estão descobriu que tudo não passava de um golpe. Que não existia nenhum exame marcado para sua mãe, nem tão pouco que o doutor Celso – que é anestesiologista do Hospital Piedade – tinha ligado para ele.
“Eu mandei essa mensagem – ele entrou em contato através do WhatsApp do jornal O ECO – para alertar outras pessoas, para evitar que elas caiam nesse golpe. Agora o que me deixou intrigado era saber como ele tinha todos aqueles dados, o nome completo da minha mãe, o estado dela, o nome do médico do hospital, meu telefone, enfim, são muitas informações”, completou a vítima que quer saber como o bandido teve acesso a essas informações. 
“Eu fiquei indignado, não só com o prejuízo, mas pelo fato da pessoa se aproveitar de um momento difícil como essa para tirar dinheiro das pessoas. Eu fiz o boletim de ocorrência e quero que isso seja investigado, afinal tem uma conta, um nome da pessoa”, frisa.
O ECO teve acesso ao recibo do depósito feito numa casa lotérica, já que os bancos estavam fechados hoje. A conta está em nome de Vilson dos Santos Silva e é de uma agência da Caixa Econômica Federal de Rondonópolis, de Mato Grosso. 
O ECO continua acompanhando o caso.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!
Publicidade
Publicidade

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2017 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia